segunda-feira, 30 de junho de 2014

Oitavas pegando fogo!

Hoje e amanhã teremos a segunda metade das oitavas da Copa e enquanto esperamos vou fazer um pequeno retrospecto dos jogos que já rolaram.

Brasil e Chile
Começando pelo primeiro, pelo nosso, o dramático jogo contra os chilenos. No Mineirão, mais uma vez a seleção de Felipão apresentou um futebol meia boca. Destaco negativamente o Hulck. Numa semana em que Van Persie enaltece nosso ídolo maior, foi vergonhoso ver a gloriosa camisa 7 vestindo o arremedo de jogador.
No lance do gol do Chile, que se iniciou com uma batida de lateral para o Brasil, o grandalhão recebe a bola do companheiro e, sem querer, claro, dá um passe pro adversário iniciar a jogada.
No ataque, embora tenha tentado bastante, não logrou exito e muitas vezes caía pedindo falta ou penalty. Impossível não se lembrar de Alessandro, outro jogador de grande porte, porém, com a categoria que falta ao Hulck: em vez de cair, saía trombando em todo mundo e driblando até chegar onde queria. Pois é, só tamanho não resolve, tem que ter um pouco de futebol. E disciplina, mas aí é outra história, porque quem é fã de Garrincha não enaltece disciplina e porque a galera da Chatuba não sobreviveu pra chegar a 2014.

Nosso gol foi contra na verdade, ou seja: nos dois lances, o gol saiu de falha adversária. E é assim que acontece no futebol e na Copa do mundo: bobeou, dançou.

Encarar a prorrogação foi duro. Só dava Chile e o Brasil parecia disposto a encarar os penalties, mas eu só conseguia pensar que se eles fizessem um gol, um golzinho só, tchau tchau Mundial... e pra quem viu o filme "No", muito bom por sinal, vinha aquela música da campanha pela democratização: "Chile, la alegria ya viene..." Viene nada, porra!!! Acorda, Brasil!

Apesar dos meus medos, ninguém fez gol e aí nada de relaxar... Tensão máxima pra acompanhar os penalties. E focar o pensamento positivo máximo no nosso goleiro que, vamos combinar, não inspirava a menor confiança. Vinha aquele filme de 2010 em que Buzz Lightyear, mesmo não sendo o único culpado (longe disso), falhou e ainda assumiu a culpa pela eliminação. Mas... esquece isso! Fé! E aí Julio Cesar mostrou pra mim e pra todo mundo que dificilmente vamos ver o Homem de gelo no gol nessa copa. E, mais importante, que tem gente ali querendo ganhar e que mesmo com um time mais ou menos dá pra seguir adiante. E adiante vamos!

Como churrasco, toma uma cerveja, que lá vem

Colombia x Uruguai
Quem assistiu aquele Argentina e Irã tem claro para si que o time que tem um matador pode contar com ele até o último minuto pra garantir a vitória. Messi em um lampejo salva seu time e mantém a copa mais divertida.
Se Suarez não chega a ser um Messi, ele era o cara que poderia manter o Uruguai vivo na disputa. É de seus pés que saíam muitos gols da Celeste, mas ele não estava em campo porque... bem, vocês sabem porque.

Então, apesar de todo meu amor por Mujica e Loco Abreu, diante de James Rodriguez e Cuadrado já era visível que Cavani, Caceres e Forlan não conseguiriam seguir adiante. E agora é ver como que o Brasil vai se virar nas quartas.

Holanda e México
O jogo começou meio chato, provavelmente porque o calor de Fortaleza a uma da tarde não estava sendo fácil, principalmente para os holandeses. Apesar de curtir um Guacamole e ter ódio da laranjinha por causa de 2010, devo dizer que Robben e Van Persie me conquistaram em 2014, principalmente o careca, que está jogando muita bola.
Ochoa já é um dos grandes destaques da Copa e agora que a Livia me contou que ele era vendedor de sanduiche e foi descoberto numa pelada gosto ainda mais do goleiro! Mas, futebol é isso aí... parecia que o México estava garantido nas quartas, mas... peraí! Lembra daquela história de que um segundo muda tudo? Que um craque muda tudo? Em se tratando de futebol não existe justiça, existe bola na rede. Na minha opinião, o melhor time passou, embora o jogo em si tenha sido equilibrado.

Costa Rica e Grécia
Confesso que nem tava animada pra esse jogo, mas, perante todas as surpresas que a #copadascopas tem apresentado, achei melhor garantir. Confesso que no primeiro tempo acabei pegando no sono, mas tudo bem, porque parece que não aconteceu nada demais em campo. Já no segundo, tudo indicava que a Grécia não era páreo para a Costa Rica, mesmo com um jogador a mais. E a seleção que surpreendeu o mundo se classificando no "grupo da morte" vencendo campeões mundiais mostrava seu valor. Porém... essa Copa não está aqui pra deixar ninguém dormir e o filósofo Sokratis, nos acréscimos, acordou a galera.

Prorrogação morta (como os jogadores) no primeiro tempo e no segundo e eu vou fazer uns cookies porque já sabia que ia pros penalties. Sabia, não... achava. Cookies no forno e começam as cobranças. Todas perfeitas (vale assistir, William #ficaadica). Até que o goleiro Navas sela o destino da Grécia e garante a melhor participação da Costa Rica em copas. Merecido. Agora eles vão enfrentar mais um Golias, a temida Holanda. Não perco por nada!

Nenhum comentário:

Postar um comentário