segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Só pode haver um!

Eu não acredito em viagens no tempo, mas tem momentos na vida em que a emoção evocada é tão forte que consegue te levar novamente a um outro momento, um outro dia, em que você foi muito, muito feliz.

Ou triste.

Nesse caso, feliz.

Estava voltando de Maceió pro Rio, voo com escala em Brasilia. Sentei com minha amiga perto do portão 11, onde estava previsto o embarque.

Observava o relógio pra ver se dava tempo de tomar um café ou coisa parecida e, enquanto não conseguia me decidir, uma figura inesperada se materializa diante dos meus olhos.

Ronaldo Angelim.

O Magro de Aço.

O autor do gol do título.

Meu Deus.

Eu tenho o sonho de conhecer poucos ídolos nessa vida. Conhecer daquele jeito meio infantil, de criança que imagina como seria linda a vida se ganhasse AQUELE brinquedo caro. Um deles, é claro, é o Zico. Júnior também figura na lista. E Angelim estava nela. Leonard Nimoy seria outro nome, mas isso não vem ao caso agora.

Só Deus sabe o quanto eu chorei com aquele gol, com aquele título.

O dia em que vi Júnior parado em um bar, numa esquina de Copacabana, entendi que morro de pavor de abrir a boca perto dos meus ídolos do futebol. Fui e voltei umas 4 vezes antes de optar por seguir meu caminho.

Eu sabia que só conseguiria dizer MEU DEUS EU TE AMO. E o abraçaria e choraria até alguém resgatá-lo, coitado.

Mas lá estava Ronaldo Angelim e sua aura modesta e simpática e próxima.

Pulei da cadeira.

MEU DEUS TIRA UMA FOTO COMIGO!

Coitado.

Ele disse "claro" e eu sabia que estava sorrindo mais do que a boca.

Comecei a tremer e a chorar, nervosa.

Pra mim, era 2009. E ele tinha acabado de cabecear aquela bola.

Meu Deus, Ronaldo Angelim!

Ele me olhou com aquela cara de quem pergunta "ficou boa a foto?", mas eu mal conseguia falar.

Apertei sua mão e disse "Obrigada!".

Acho que ele pensou que foi pela foto.

Mas foi por aquele gol.

Foi por aquele título.

Porque, vocês sabem, só existe um Ronaldo.


2 comentários:

  1. Grande texto, Nanda. Pena que você não conseguiu dizer isso ao Angelim. Ele merecia ouvir, pela façanha e pela modéstia...
    "Tio Maraca"

    ResponderExcluir
  2. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
    Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
    decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
    siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

    ResponderExcluir