quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Ninguém cala!

A última vez que escrevi sobre Botafogo por aqui, Rafael Marques mal fazia gols, Vitinho começava a aparecer como uma das opções de ataque e os gols no fim da partida eram sempre do adversário.

As coisas começaram a mudar. As coisas mudaram. Digo que não sou supersticiosa e de fato tento não ser. Mas quando percebi que minha aparente apatia era acompanhada de bons resultados, achei melhor continuar assim. Por outro lado, fui eu mesma que inventei de escrever em um blog sobre futebol, né? E por mais que futebol seja política, economia, sociologia, história... temas que tem dominado aqui (felizmente, pois a blogosfera precisa disso), futebol é futebol!

Então algumas poucas considerações sobre o jogo de ontem. Foi um jogo bom, porém tenso e as vezes até um pouco chato. Ao mesmo tempo foi emocionante e chato. Parece contraditório, né? Explico: o adversário marcava, fechava o jogo e jogava no contra-ataque a maior parte do jogo (exceto no início do segundo tempo, quando deu uma boa pressionada), então o jogo não era tão fluido. Por outro lado, tivemos chances e ótimas jogadas e o coríntias também chegou com perigo algumas vezes, o que deu a dose de emoção.

O que deixou o jogo tenso foi o nosso gol que não saía, além do que pareceu ser um quase gol contra de Edílson, que ao fim do jogo se redimiu com passe de craque para o gol deo menino iluminado Hyuri. Esse gol, que demorou quase 90 minutos para sair foi uma explosão de alegria sem tamanho. Alívio pelos três pontos, pela merecida vitória (que nem sempre sai) e por nos manter pertinho ali do cruzeiro, cujas chances matemáticas são mais ou menos o dobro das nossas.

Li por aí críticas ao Seedorf. Discorodo. Apesar de não ter feito o gol naquele ataque em que o Cássio se via fora do gol e ter perdido um voleio, seu posicionamento e toque de bola foram sempre ótimos. Dá gosto de ver. O destaque negativo foi o Lodeiro, que errou muita coisa. Bem, nem quero fazer análises individuais, porque o que importa agora, como vem sendo frisado por todos, é o grupo, unido pela vitória.

O botafoguense é um desconfiado por natureza, é aquele que só comemora depois do apito final. Mas motivos não faltam para otimismo. Eu acho que não é por falta de otimismo e nem pelos altos preços dos ingressos e nem por protesto contra a suspeitíssima e infeliz privatização do new maraca que a torcida não tem comparecido em peso. Eu acho que é a superstição. Nosso lado estava lotado ontem (apenas a parte cuja renda destina-se ao clube, ali atrás do gol), mas o resto do estádio não. Quem tem ido, acho eu, são aquelas pessoas com costume de ir aos jogos (se não tivesse morando longe, lá estaria eu), enquanto a sofá-fogo vai torcendo de casa.

Bem, é puro achismo... posso estar errada, mas não estou nem aí!

Aliás, acho que tem gente na imprensa esportiva que escreve sem ver os jogos. Dizem por aí que o time não é nada demais... eu acho que eles não sabem o que quer dizer a palavra TIME.

Mas, tudo bem... eles não sabem diferenciar "adeus" de "valeu" e é por isso que não posso levá-los a sério, apenas lamentar que tantas pessoas ainda não tenham percebido que os especialistas no assunto não sabem de nada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário