quarta-feira, 19 de junho de 2013

Sobre os protestos

Muito se engana quem não consegue ver a relação entre o futebol e o momento que estamos vivenciando no Brasil.

Em primeiro lugar porque o fato de termos comemorado a realização da Copa e das Olimpíadas no país e aos poucos percebermos que os eventos esportivos não deixarão legado à população estão intimamente ligados ao sentimento de frustração do brasileiro, de ser deixado de fora da festa, de fazer papel de bobo sempre, de não ser defendido por aqueles que elegeu. Bem, essa é a minha singela opinião...

Tem ainda as denúncias de corrupção nas entidades públicas e privadas (CBF, FIFA) envolvendo muitos aspectos dos eventos.

Mas tem uma coisa importante também que é a TORCIDA. Onde se não nas arquibancadas exercitamos nossa habilidade de união em torno de um objetivo? De cantar junto, formar mosaicos, vaiar o que atrapalha (no meu caso, normalmente é o árbritro, a figura de autoridade) e aplaudir o que constrói (um belo drible ou desarme, um gol redentor)?

Nelson Rodrigues disse a respeito do torcedor: "Parece um pobre-diabo, indefeso e desarmado. Ilusão. Na verdade, a torcida pode salvar ou liquidar um time." Nós todos já vimos isso acontecer num jogo de futebol. Agora queremos ver isso acontecer no país.

Agora me permito um relato de algo que ouvi na passeata de segunda-feira aqui em São Paulo. Quando subíamos a ponte estaiada e de lá viámos a galera vindo de todos os lados, era impossível não sentir aquilo que Cidinho e Doca já cantavam, "O povo tem a força, só precisa descobrir. Se eles lá não fazem nada, faremos todos aqui". Ouvi de mais de uma pessoa comentários de "esse é o dia mais emocionante da minha vida.", "Estamos fazendo história". "Vou contar sobre esse dia para os meus netos.". E esse sentimento ter acordado nas pessoas é o maior legado desse movimento.

Mas para que isso não desapareça, é preciso que consigamos fazer um gol, perceber que nossa torcida não é em vão. Ou seja, que mudanças aconteçam. Que as tarifas diminuam, mas que os políticos sintam que não podem mais sambar na nossa cabeça.

Eu que consolidei meu status de manifestante nos anos de

"Educação não se discute
Privatiza a Dona Ruth"

e

(decidir omitir outros cânticos para não polemizar)

confesso que já tinha anestesiado essa parte de mim que acredita em ser um agente de mudança. Mas quando vi na internet as cenas de violência para cima dos manifestantes, meu lado torcedor do Botafogo falou mais alto. Vocês sabem, não toleramos a injustiça e precisamos reagir, nem que seja chorando. E foi crescendo o sentimento de que não podem NUNCA nos tirar o direito a expressar nossos desejos e opiniões, não podem nos tirar a capacidade de acreditar que nossa vida tem valor e que nenhum governo pode tratar (ao menos assumidamente) a população que o elegeu como um inconveniente.

E já que estou citando pérolas da crônica e do cancioneiro, finalizo com a letra de Cordão, do Chico. Quem não se arrepia ouvindo essa música, sei não... tá do lado errado

"Ninguém
Ninguém vai me segurar
Ninguém há de me fechar
As portas do coração
Ninguém
Ninguém vai me sujeitar
A trancar no peito a minha paixão

Eu não
Eu não vou desesperar
Eu não vou renunciar
Fugir
Ninguém
Ninguém vai me acorrentar
Enquanto eu puder cantar
Enquanto eu puder sorrir

Ninguém
Ninguém vai me ver sofrer
Ninguém vai me surpreender
Na noite da solidão
Pois quem
Tiver nada pra perder
Vai formar comigo o imenso cordão

E então
Quero ver o vendaval
Quero ver o carnaval
Sair
Ninguém
Ninguém vai me acorrentar
Enquanto eu puder cantar
Enquanto eu puder sorrir
Enquanto eu puder cantar
Alguém vai ter que me ouvir
Enquanto eu puder cantar
Enquanto eu puder seguir
Enquanto eu puder cantar
Enquanto eu puder sorrir
Enquanto eu puder cantar
Enquanto eu puder..."

Um comentário:

  1. Não conhecia esse blog, mas gostei demais! Me desculpe a Camilla (autora desse ótimo texto), Marcela e Lívia, mas a Nanda é a que tem mais bom gosto futebolístico (rs), brincadeiras a parte, gostei muito daqui. Parabéns pelo blog.
    Bom fim de semana!
    Fica com Deus!
    Beijo!

    http://nannacunha.blogspot.com.br

    ResponderExcluir