quarta-feira, 28 de março de 2012

Animal

Escrevo enquanto assisto a despedida do Animal. O que eu penso sobre o jogo? Tenho minhas dúvidas.

Claro que gritei cada gol do Edmundo no Vasco. Claro que eu tava lá e chorei, comemorei e gritei como louca "AH, É EDMUNDO" no tricampeonato. 97 foi o ano dele, sem dúvidas. Mas isso não apaga tudo que ele fez contra o Vasco, pelo menos não pra mim.

No total, ele ganhou só 2 títulos. Criou uma identidade com o clube, mas também fez o famoso gesto pra nossa torcida quando vestiu a camisa do nosso maior rival. Sinto muito, eu guardo rancor.

Acho até que poderia, sim, ser feita uma despedida, mas não nesse momento. Não com o Vasco disputando Libertadores, com o Carioca aí na fase definitiva. Podiam ter jogado no início de janeiro, ou depois do fim do Brasileirão. Quero nem falar muito (o jogo tá rolando), mas e se a bruxa tá solta e machucam algum titular? E se acontece algo com o Juninho? Compensa? Claro que não!

Aliás, tá aí quem merece a maior das despedidas: nosso Reizinho. Esse sim, o maior vascaíno que vi jogar. Vestiu nossa camisa e a tatuou em seu corpo, fez do Vasco sua casa. Foi pro exterior, fez carreira, mas voltou pra "casa". Ele merece parar o mundo para ser honrado.

Mas já que a festa tá aí, eu fico com o que considero o melhor momento entre as muitas polêmicas do Animal. Eu tava nesse jogo, eu enlouqueci. E eu gritei, com toda força: "AH, É EDMUNDO"!



PS: Por enquanto tá 3X0 (mas que vergonha o pênalti, por favor. Pelo menos o time tá mostrando que não precisava isso...)

Nenhum comentário:

Postar um comentário