quinta-feira, 27 de outubro de 2011

GIGANTE!


Ver o vídeo me faz chorar. É emocionante demais ver a união desse grupo. 2011 foi um ano em que os deuses do futebol resolveram colocar o Vasco à prova. Primeiro a tragédia da primeira fase do carioca. O traíra que, afastado, hoje é um fantasma no futebol (alguém sabe por onde ele anda? Pois é!). O início da recuperação, mais uma escorregada contra a mulambada. Ricardo Gomes veio quieto, ignorou os farofeiros e focou no seu trabalho. E foi a combinação perfeita: Vasco e Ricardinho parecem que nasceram um para o outro.

Conquistamos a Copa do Brasil. Emoção sem limites, não só um grande título, mas a vaga na Libertadores 2012, a redenção. E veio Juninho pra participar da festa. E, apesar do que queriam os farofeiros, o Vasco não estava satisfeito. Continuou dando tudo e mais um pouco no Brasileirão, e ainda se preparando para a Sul Americana.

De repente, mais uma tragédia, essa sim grave. Ricardo Gomes, como seguir sem ele? E, maravilhosamente, o líder conseguiu inspirar até no momento mais difícil. É lindo ver o time emocionado cada vez que fala no técnico. É bom demais que, ignorando mais uma vez os farofeiros, o clube não saiu desesperado atrás de um novo técnico, confiou no interino. É lindo demais ver hoje o Vasco líder do Brasileirão, o Vasco golear e ser o único brasileiro que segue na Sul Americana, o golaço do Bernardo (vai lá ver de novo que eu espero!). Mais lindo ainda é ver Ricardo Gomes se recuperando e participando dessa alegria toda com o time.

O Vasco hoje é um grande orgulho pro torcedor. Sem picuinhas, sem deixar a farofada externa interferir. A união em campo, os jogadores que, tão desacreditados, vestiram essa camisa e renasceram. O Vasco hoje é o exemplo do futebol que todos nós queremos.

Deixa eu ver o gol do Bernardo mais uma vez, e todos os outros, e a emoção, e a comemoração do grupo.

Mais que nunca, o Vasco é GIGANTE!

PS1: Eu gosto disso, da resposta em campo do meu time. Posso fazer post à vontade! =)
PS2: Essa harmonia toda significa uma coisa: Kléber NÃO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário