terça-feira, 16 de agosto de 2011

Um ano Gigante?

Pois é, dei uma sumida, não é só jogador de futebol que tira um tempo pra "resolver questões pessoais", certo? Ainda bem que eu não apareço depois no Ego na boa vida na praia, hehe.

Mas fiquei de longe tranquila, vendo meu time subir na tabela. Claro que doeu a goleada sofrida no jogo contra o Botafogo (rival é sempre rival), mas nossa trajetória tá bonita. Diferente do comum, o Campeão da Copa do Brasil decidiu que o ano não terminou ali. Felizmente, meu time não é disse. E lá estamos nós, a poucos pontos do líder, e "leiloando" uma vaguinha na disputa mais concorrida. Quem diria: 2011 tá sendo muito bom pro Gigante.

Tem também a Sulamericana (que nós Luluzinhas ainda não definimos como se escreve). Acho que já disse por aqui: comemoro até par ou ímpar! Quero títulos, a sede tá complicada e não tenho intenção nenhuma de parar na Copa do Brasil. Acho que a Sulamericana é um torneio legal, apesar do pouco marketing feito. O Brasileirão é a prioridade sempre, mas ele às vezes fica meio monótono. E esses torneios entre safras estilo Sulamericana animam um pouco a coisa.

Mas o time precisa melhorar, e bastante. Na verdade, precisa manter uma coerência em campo. Temos jogos espetaculares, e outros, com os mesmos jogadores, que dá vergonha de assistir. E a metáfora disso é o Diego Souza. Como pode ser o mesmo jogador nos jogos contra o Santos e depois contra o Botafogo? COMO? Tá aí mais um exemplo de jogador que podia fazer bonito e fica com essa birrinha marrenta que só atrapalha. Diego Souza devia controlar os nervos e focar mais no seu desempenho em campo.

Meu queridinho Éder Luis também anda meio estranho. Má fase, dizem uns. Não sei, mas sinto que a nova estrutura (que está dando certo) o apaga de vez em quando. Fica complicando mexer em time que tá ganhando por um jogador, né? Melhor tentar fazer ele se adaptar.

Bom, literalmente, ainda tem muita bola pra rolar. E espero que o time se organize, e quem sabe, garanta mais um título pra calar de novo a boca dos farofeiros.

E 2011, quem diria, é o ano do Gigante!

Um comentário: