sexta-feira, 29 de julho de 2011

O jogo mais incrível de toda a minha vida

(Esse título foi patrocinado pela convivência com a Brisa <3)



O jogo prometia. Como havia sido noticiado, seria o duelo entre Neymar e Ronaldinho. De um lado, a promessa, o tal que tantos dizem ser melhor que o Messi, o novo Pelé. De outro, um craque cujo desempenho recente não faz jus à sua história incontestável.

Um time que vem jogando um belo futebol contra um que de vez em quando tem dado bons shows.

Da última vez em que o Flamengo ganhou do Santos, consagramos Andrade como a escolha da Nação, no dia em que ele chorou de emoção e dedicou a vitória ao amigo recém-falecido. Perdíamos Zé Carlos, mas começávamos nossa jornada rumo ao título do brasileiro.

Ontem tinha tudo pra dar errado, todas as probabilidades conspiravam contra nós mas eu tinha certeza absoluta de que levaríamos os três pontos.

Quem acompanha esse blog, ou simplesmente me conhece, sabe que sou afeita a lampejos de superstição. Tipo quando eu arranquei um bife do dedinho do é esquerdo enquanto pintava a unha de preto e soube que ganharíamos do Inter com um gol de Renato Abreu. A certeza de ontem veio da previsão de Susan Miller. Ela disse que dia 27 de julho me aconteceria algo que seria quase como um milagre. Como nada surpreendente aconteceu até as 21h, só podia ser isso.

Seria sofrido (daí o milagre), mas seria nosso. E seria lindo.

Tudo começou bem. Eu veria o jogo com David, minha companhia favorita da vida pra assistir o Flamengo em campo. A angústia já começou porque conseguimos pisar em casa quando o Borges marcava o segundo gol do Santos em coisa de 17 minutos, depois de uma jogada insistente de Neymar.

Ok, talvez as coisas não tivessem começado tão bem assim, mas nós íamos ganhar, com certeza.

Deivid protagonizou momentos que não consigo imaginar acontecendo com mais ninguém, a não ser um pobre coitado que tenha chutado a cruz e quebrado uns 30 espelhos em efeito dominó, porque vou te contar. Único ser que já vi evitar o próprio gol. E gol feito, sabe? Ele perdeu mais uns 2 e teve um anulado com um impedimento muito mal marcado. O que significa que esse placar poderia ter sido bem mais amplo do que já foi, mas não vou me antecipar.

Aliás, não vou listar a sequência exata dos gols, porque eu teria de pesquisar pra acertar. De verdade, o jogo foi tão impossivelmente intenso que eu prefiro fazer um relato bem compatível com o meu sentimento. Talvez não seja tão preciso, mas...

Foi duro ver o gol do Neymar, que deixou nossa defesa inteira vendo só a poeirinha de onde tinha passado, mais duro ainda aturar o Lofredo aos berros dizendo que aquele tinha sido o gol mais maravilhoso mega blaster plus de todas as galáxias. Já estávamos em desvantagem e eu ainda tinha que aturar aquele moleque tripudiando?

Aí Felipe nos vingou fazendo embaixadinha depois de agarrar o pênalti mais mal batido, a piada mais pronta de todas. Elano.

E, quem diria, foi justamente Ronaldinho que fez a diferença pro time da Gávea. Ontem ele estava genial, nada menos que isso. Eu, pessoalmente, acho que sua cobrança de falta foi infinitamente mais brilhante que o gol maravilhoso de Neymar, por uma razão muito simples. Foi estratégico. Sim, Neymar foi rápido e talentoso, impecável. Mas R10 viu a barreira pular, matou o goleiro e colocou a bola rasteirinha lá dentro do gol.

Não é fácil fazer isso. Isso sim é coisa de gênio.

Foram 5 gols do Fla contra 4 do Santos. E a minha timeline parou de bradar "pelada" pra admitir que aquele foi o grande jogo do campeonato. Quem transmitiu disse que foi a melhor partida que tiveram a oportunidade de narrar. Foi um momento histórico que me fez gritar, pular, sorrir, comemorar, abraçar o David e agradecer porque o futebol existe.

Como eu disse, a despeito da lógica, das probabilidades e das pragas, nós íamos ganhar esses 3 pontos. Mas, por mais deliciosa que a vitória tenha sido (e ainda está sendo), esse foi o jogo que não teria doído tanto perder, porque o espetáculo teria valido a pena.

Obrigada ao Flamengo (e ao Santos) pelo incomparável presente de aniversário (3 dias) antecipado.

Destaque também para Luiz Antônio. O moleque jogou bem até ser eliminado por uma palhaçada de Neymar, a criança mais mimada do futebol atual. Achei que o cartão não ia sair, mas o juiz me surpreendeu ao ter coragem de amarelar o rapaz. Que isso se torne um hábito, torço com vontade por isso. Willians, como sempre, roubador de bola mor do Fla. Renato Abreu e Leo Moura estavam apagados diante do que sabem fazer. Thiago Neves e Deivid, apesar dos gols, não fizeram tanta diferença. Parabéns ao Felipe, mesmo com os gols tomados. Welinton... Prefiro me abster e manter esse post como um texto apropriado para crianças e famílias. Ainda aguardo um zagueiro que preste pra proteger a casa.

4 comentários:

  1. Com certeza o melhor jogo!!! Concordo que ja estaria feliz mesmo q o flamengo nao ganhasse pq foi um espetaculo o jogo em si!

    O Deivid coitado mesmo, tem q se benzer legal o menino!

    Tb concordo com vc q neymar eh um mimado... todos lambem a criatura.. baixa e bola e seja mais humilde pirralho, faca como o ganso q eh melhor pra vc!

    Fui dormir cantando o hino... e claramente acordei cantando tb... vencer vencer vencer!!!

    ResponderExcluir
  2. Tô sem voz até agora e achando a maior graça... =D

    ResponderExcluir
  3. Chegando atrasada para comentar que esse foi um jogo para lembrar por toda a vida.

    ResponderExcluir
  4. No fim das contas você é tão exagerada como eu. Eu só LIBERTEI o exagero do seu ser. hahaha

    Texto foda! Bata aqui que você broca, rapaz! o/

    Ps: Não sabe o que é brocar? Xô explicar na sua língua http://www.youtube.com/watch?v=JjdRPp86CnA =)))

    ResponderExcluir