quinta-feira, 19 de maio de 2011

Ainda faltam 90 minutos

Acho que não tem muito o que comentar sobre o jogo de ontem, mas como falta de assunto nunca foi motivo para eu parar de falar, aqui vamos.

Acho que algumas considerações precisam ser feitas:

1) A imensa torcida bem feliz é genial! E me emociona de uma maneira incrível. Que espetáculo ontem, mais uma vez. Fez mais do que seu papel no jogo, e merecia mais dos jogadores em campo.

2) Engraçado tantos rivais desmerecendo os adversários, dizendo que o Vasco tem a obrigação de vencer a Copa do Brasil. Perguntinha básica: por que vocês não estão na nossa situação? Ah, claro, porque perderam em algum momento para estes "times pequenos". O Avaí tem um dos melhores goleiros da atualidade, e aquele lateral Julinho chega a assustar (e assustou). Portanto, uma semi-final de Copa do Brasil não tem favoritos, todos que chegaram até aqui disputam o título na igualdade. Ontem, literalmente tudo na igualdade.

3) Se ainda temos esperanças? Pergunta cretina, mas respondo: claro! Esse dramalhão não combina com meu time, por favor. O empate não foi de longe o resultado esperado, mas convenhamos que um gol de vantagem lá na casa adversária é completamente viável. Ainda mais considerando que o Vasco é time taurino, implicante até o fim, e cisma em jogar melhor na casa dos outros.

4) O pênalti foi correto, até o técnico do Avaí reconheceu. E ainda teve um pênalti claro no Ramon, feito pelo goleiro adversário que o juiz ignorou. Desde quando pênalti aos 47 minutos tem que ser suspeito sempre? Imagino a nova regra: depois dos 43, nenhum pênalti pode ser marcado, já que todos eles serão suspeitos. Menos, né, farofeiros? Fica feio assim.

5) Por fim, voltamos ao tema dos péssimos comentaristas de futebol. Parecem crianças: escolhem o time que vão torcer (e nem quero discutir as ra$ões dessa escolha) e não interessa o que aconteça, vão defendê-lo até o final. Ontem no Sportv negaram as duas penalidades com um ódio no coração, até que as imagens mostravam o óbvio. Reconhecer o erro pra que? Contestam a imagem, dizendo que o ângulo não ajudava. E por aí foi. Começo a achar que sensato é o Ale (maridón argentino que não gosta de futebol), que me diz que eu deveria ver os jogos sem som.

O Vasco precisa urgentemente de um atacante matador. Senti tantas saudades do Romário ontem... tantas bolas para aquele estilo "tô parado aqui na área, esperando". O time não é uma seleção, mas é bom, entrosado, mas falta isso: alguém pra definir. Enquanto não aparecer, vai continuar a sina dos empates.

E pra terminar, uma fala dos queridos comentaristas: "A torcida tenta empurrar o time". Queridos, tudo nessa vida é uma questão de perspectiva. Empurrar o time nem sempre é a melhor solução. Alguns estão na beira do abismo, empurrar seria o fim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário