sexta-feira, 18 de março de 2011

O mundo livre

Pois é, o líder do mundo livre resolve visitar o Brasil e é claro que isso ia, de alguma forma, envolver futebol.

Aparentemente, por problemas de estacionamento do helicóptero, o Presidente Obama deverá pousar no gramado da Gávea. Como boa anfitriã, Pat Amorim tratou de separar uma camisa do Flamengo pra entregar pro homem.

Marketing puro, é claro.

Aí Dinamite decidiu entrar na brincadeira e entregar uma camisa do Vasco. Pior é que a camisa é super legal, tem uma história muito bacana, faz referência ao campeonato vencido pelo Gigante da Colina como primeiro time a ter jogadores negros no grupo, achei super apropriado.

Qual o problema, então? Bom, Robertão decidiu que não bastava entregar a camisa, tinha que entregar PRIMEIRO. Hum, mas como assim?

Fácil, né amigos? Quem vai recepcionar (nesse caso poderia até ser decepcionar. tsc...) Mister Obama quando ele chegar no Air Force One, lá no Galeão? AHÁ! Ponto pra quem disse "o governador e o prefeito do Rio", dois conhecidos vascaínos.

Pra mim, avacalha o sentido da camisa, que é bonita e cheia de significado porque Dinamite faz questão de chegar antes, só pro Flamengo não levar vantagem. E eu admito que a camisa do Fla não teria nenhum significado maior.

Troquei umas mensagens com as Lulus e a Camilla disse que, já que virou farofa, então ele deveria ganhar todas as camisas, ou seja, joga uma vestimenta alvinegra e uma tricolor nesse pacote e embrulha pra presente.

E não é que o Flu começou a se agitar pra uniformizar Obama também?

Vou te dizer, viu?

4 comentários:

  1. No mínimo engraçado essa corrida para entregar camisa de time pro Obama, viu?

    Será que ninguém tem nada mais importante pra fazer??

    ResponderExcluir
  2. Claro que não, Camilla. Meu time tá todo montadinho, com um super técnico, com um super CT, tá com tempo de sobra pra esse assunto imensamente mais importante...

    eu mereço, gente

    ResponderExcluir
  3. Todo mundo na briga do YES WE CAN!

    ResponderExcluir