quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

A estreia do jogador previamente conhecido como Gaúcho

Seria mentira se dissesse que estava ansiosa pela estreia de Ronaldinho, mas seria mentira maior ainda se não admitisse que estava, no mínimo, curiosa.

Todos sabem que eu não gostei da forma como o jogador veio pro Flamengo e faço parte do seleto grupo que cabe numa Kombi que faz questão de ver o desempenho em campo antes de fazer farofa.

Mas a incrível torcida do Flamengo, que claramente discorda da minha opinião conservadora, aprontou uma linda festa pro primeiro jogo de Ronaldinho com a camisa vermelha e preta, com direito a mosaico e Engenhão lotado. "Que torcida é essa" é pergunta sem resposta. Não dá pra explicar. 

Fato é que nosso novo camisa 10 é tipo o Messi. A expectativa é imensa, todos os olhos do mundo querendo ver um gol que não saiu, mas foram tantas boas jogadas... A que mais me chamou atenção foi uma recuperação de bola, em cima de uma marcação de 3 homens. Juro que pareceu um momento de Playstation.

O Nova Iguaçu ameaçou pouco, quase não criou oportunidades de gol, mas marcou que nem gente grande e retrancou por 90 minutos e os acréscimos. Ô, porra chata. Entendo a pressão de jogar contra o Fla, entendo mais ainda o agravante de ser na estreia do R10, mas ficar com 11 jogadores na grande área é postura chata e arregona. 

Ainda assim, o Fla pareceu pilhado no começo do primeiro tempo, deu aquela amornada no meio e recuperou com a entrada do Botinelli e do Wanderley. Ai, Wanderley, SEU LINDO! Artilheiro do Mengão!

O Nova Iguaçu, depois de perder aquele gol feito no comecinho, não fez muito mais em termos ofensivos. Só encheu meu saco, muito obrigada. O tédio foi tanto que cochilei e perdi o gol. Graças a Deus existe replay. (ok, a narração de Rob Porto e os comentários de PC Vasconcelos induzem ao suicídio sono, isso colaborou)

O jogo foi emocionante? Não. Ronaldinho fez gol? Não. Mas foram 3 pontos. Foi vitória. 100% de aproveitamento, mais um gol do Wanderley e é isso. É isso?

Não, não é.

Momento mais emocionante, e isso mexeu muito comigo, foi Ronaldinho no final do jogo, reverenciando a torcida, claramente tocado com a festa montada para recebê-lo. Na entrevista, dava pra ouvir a voz quase de choro. Depois de tanto tempo sem jogar, admitiu que faltava ritmo, que os companheiros o receberam de braços abertos e o carregaram em campo. Exagero.

Disse que todos temos um pouco de Flamengo dentro de nós. Mentira. Quem tem Flamengo dentro de si não tem pouco de nada. É muito. E acho que ele viu o tanto hoje. Foi bonito. 


3 comentários:

  1. Ronaldinho, saiba que eu não tenho nada de flamengo dentro de mim. Grata.

    Fê, não vi o jogo, mas acredito que tenha sido super emocionante :)

    mas assim... acho que ele vai continuar sendo conhecido como Gaúcho (ok, eu entendi!)

    ResponderExcluir
  2. Vi os melhores lances, bom jogo mesmo do dentuço. Só não sei se isso aconteceu devido ao fato de que do outro lado estava o Nova Iguaçu ou se ele está com fome de bola. A verdade é que, Luxa, agora com mais tempo de preparo do time, vai dar trabalho no Brasileirão.

    ResponderExcluir
  3. O Nova Iguaçu jogou bem, Nanda. Realmente não foi um jogo emocionante (achei tedioso em vários momentos...e assisti pela Globo, aturando a "participação do internauta", ou seja...), mas valeu por ver Wanderleyzinho vibrando lindamente outra vez e as boas jogadas do Ronaldinho.

    ResponderExcluir