terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Sem firulas

Todos sabem que eu sou flamenguista, falo isso com a tranquilidade de quem entrega um cartão de visitas. Já sou apresentada assim e virou até diferencial ser a menina do Rio que tem um blog de futebol. Eu gosto. Gosto de tudo. De ser flamenguista, de ser carioca e de ser a menina que fala de futebol.

É claro que, diante da contratação de Ronaldinho Gaúcho, muitos tenham vindo puxar papo comigo sobre o assunto. Principalmente para os que não entendem nada de futebol, RG10 garantiu o equivalente esportivo do "Mas que calor, hein?".

Não cheguei no trabalho como se tivesse ganhado na Mega-Sena, ou, mais especificamente, como se fosse Campeã Brasileira. Pra mim, era mais um dia normal. 

Sei que estou parecendo uma garota enxaqueca e muitos podem começar o mimimi com um sonoro "mas quem você pensa que é, Ronaldinho melhor do mundo, joga muito, blablabla". Não sei se é implicância pessoal, acho que desenvolvi uma birra toda minha com vários jogadores dessa leva. Pelo conjunto da obra mesmo, pessoa + boleiro. 

Não gostei da forma como se deu o acordo que resultou na maior contratação do futebol brasileiro (até o próximo craque decidir que quer se aposentar  voltar pro Brasil). Certeza que nunca vamos saber a história inteira, os bastidores, os pormenores, tudo aquilo que não se deve mencionar. 

Futebol é assim. É amor? Claro que é, se não fosse, gosto nem de pensar. Mas é dinheiro. É muito dinheiro. 

E pra mexer com isso tem que ter estômago. Pra brigar com cartola, pra blefar com time, com imprensa, com torcida. Tem que gostar de ser odiado. Alguém vai te amar. Mas pra cada dose de amor, são tantas outras de ódio. Porque só um ganha. E quem sabe perder?

Sou tonta de esperar que as pessoas sejam corretas. Ainda mais em um mercado em que as pessoas preferem os títulos e o incomparável prazer de sacanear os outros que não conseguiram o que você conseguiu.

Pessoalmente, me decepciono de saber que são pessoas como Ronaldinho (ou Neymar, escolha o veneno) que são os exemplos da molecada. Além de aprender a falar de si mesmos na terceira pessoa, o que mais eles levam nessa? Sério?

Gato escaldado tem medo de água fria, já dizia o outro. E eu cansei de fazer coro por quem só promete.

Basta Luxemburgo abrir a boca pra falar uma asneira como a que ele falou. Muitos títulos invictos pro Fla em 2011? Oi? Agora tenho de ficar aqui roendo os dedos esperando RG10 humilhar a galera com seu futebol superior?

Sabe o que eu quero? Um time. Não quero um jogador. Quero um time. Quero um grupo.

Não vou fazer escândalo por conjecturas. Ah, mas ele foi o melhor do mundo. Que bom. Ah, mas ele jogou muito no Barcelona. Bom pro Barça. Ah, mas no último mês ele jogou muito no Milan. Ok, antes disso ele era o banco mais caro que já vi. Foi campeão do mundo. Incrível. 

Repita tudo pelo Flamengo e eu dobro a língua. 

Enquanto isso, desculpem, estarei, como se diz por aí, no aguardo por resultados.

No fim das contas, amigos, eu quero ver gol. 

E quero meus títulos.

4 comentários:

  1. Falou tudo, Nanda.
    É a mesma coisa que sinto. As pessoas aqui perto de onde moro/trabalho torceram o nariz quando expressei minha insatisfação pela contratação do dentuço. Não gostei mesmo. Achei que o clube se rebaixou para ter um jogador que nitidamente sofre uma queda vertiginosa em seu futebol desde 2006 e que não vale tudo isso que dizem (Senti nojo do Alex Escobar babando ovo para o R10 no globo esporte de ontem). Enfim, espero que ele pelo menos mostre dignidade com a camisa rubro-negra e que o time não fique preso a ele, que realmente consiga haver um conjunto, pq senão vai ser o mesmo perrengue do ano passado.

    Sem mais!

    Saudações rubro-negras a todos e todas.

    ResponderExcluir
  2. É isso, Rafael. Quando a gente bota todas as fichinhas no mesmo porquinho, se o porquinho vai embora...

    ResponderExcluir
  3. Olha, nem é no meu time mas entendo sua posição. Tem flamenguista aí dizendo que R10 mostrou amor ao clube... como? Olha, amor pra mim seria ele ter poupado todos dessa palhaçada e ido direto pro Flamengo. Foi bem parecido com o Ronaldo Gordo. Só que como o R10 ficou no Fla, parece que 95% dos torcedores aceita e perdoa tudo.

    Ainda bem que tem os outros 5%...

    E Patrícia Amorim fez uma jogada de gênio: deu pão e circo, e assim garantiu que as massas a apoiem! Porque ela agora pinta o quadro de que lutou contra os grandes e venceu. UAU.

    ResponderExcluir
  4. Olha, Li, se eu disser o que realmente acho que aconteceu, é capaz de quererem me queimar junto com a camisa do Flamengo. Mas acho que deve ser bem próximo da realidade, viu? Sinceramente...

    ResponderExcluir