sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Quando o futebol é muito mais que futebol...


O jogo foi na segunda-feira. Um dia estranho para um clássico. Mas o que se viu em campo foi um daqueles momentos históricos do futebol: Barcelona 5 X 0 Real Madrid. Uma goleada histórica, sem dúvidas, mas que significa muito mais que ganhar do principal rival.

O Barcelona é muito mais do que um clube de futebol. Ele representa a própria Catalunha, e todas as lutas desse povo, sua identidade. A história do clube é marcada pela luta catalã por autonomia, ou pelo menos por reconhecimento e pelo direito à sua identidade.

Durante a Guerra Civil Espanhola, o clube viajou pelo mundo para realizar amistosos e arrecadar fundos para a causa republicana. Na época do conflito, o então presidente do clube Josep Sunyol, republicano e esquerdista, foi assassinado pelas forças nacionalistas. Com a derrota republicana e a ascensão do General Franco as coisas só se complicavam mais pro Barça. Franco proibiu qualquer manifestação cultural que não fosse castelhana, o que afetou diretamente o clube, claro. O Barça mudou seu nome para Club de Fútbol Barcelona, e também seu símbolo (reduziu as quatro faixas vermelhas na parte superior direita alusivas à bandeira da Catalunha para duas, que representavam a bandeira espanhola), e em 1940 o campeonato Catalão foi extinto. Mas o clube e seus torcedores resistiram. Um dos poucos lugares em que ainda se podia falar catalão era e ali. E apesar dos esforços da ditadura franquista, o Barça se afirmava cada vez mais como uma das principais expressões da identidade catalã.

E o Real Madrid, para muitos, fez o caminho oposto. Ele representava exatamente a centralização do poder espanhol, em grande parte por sua localização na capital. O "Real", por exemplo, foi incorporado ao nome do clube, antes só Madrid, como uma homenagem ao poder centralizado do rei. E essa imagem de clube espanhol foi incentivada tanto por Franco como posteriormente pelo rei, ao retornar ao poder. E o Barça era o oposto, o símbolo das comunidades autônomas e das múltiplas identidades que formam a Espanha como concebemos hoje.

Claro, esta é uma versão da história. Mas ela ajuda a entender o que simbolizou uma vitória como a de segunda-feira para o Barça, e a derrota humilhante para o Real. Foi muito mais do que derrotar um rival. Foi a vitória de uma questão histórica ainda aberta, uma disputa ainda latente para o povo espanhol.

A identidade catalã continua forte e o Barça continua sendo muito mais que um clube de futebol. E acho que é também um exemplo positivo. Eu sou a primeira em apontar e denunciar tudo de ruim que existe no futebol, e acho isso importante. Mas também temos que elogiar quando é o momento, certo? Em primeiro lugar, o Barça consegue ganhar dinheiro sem se vender. O clube não aceita patrocínios na camisa, por exemplo. O único nome que apareceu por lá foi o da Unicef, e, pasmem: o clube paga para isso.

O trabalho do Barça é ótimo. O jogo de segunda e as recentes conquistas são resultado de um planejamento, do investimento em craques, e não só na compra de quem já é sucesso. O maior exemplo é, claro, Lionel Messi. O argentino é, sem dúvida, o melhor do mundo. E graças ao investimento do clube catalão. Felizmente hoje podemos ver a "Pulga" em campo dando show, acompanhado de um time que também brilha. Pra quem gosta de futebol, tem coisa melhor? Então, pra fechar com chave de ouro, vamos nos deliciar mais uma vez com o chocolate que abriu a semana...


5 comentários:

  1. Só faltou citar o David Villa junto com o Messi como destaque da partida, o cara tava impossível!

    ResponderExcluir
  2. Lívia, parabéns pelo texto...
    essa rivalidade entre Barça x Real é uma das mais interessantes do futebol... diversos elementoso históricos e culturais.
    E é engraçado ver que dentro da cidade de Barcelona existe um outro clube "grande", o Espanyol, e mesmo assim o maior rival do Barça é o Real Madrid. E o Espanyol passou pelo mesmo processo do Madrid, também incorporou o Real ao nome e a coroa ao símbolo do clube... Será que se existisse um campeonato regional as coisas seriam diferentes? Imaginem agora no Brasil... e se não existisse o estadual? Será que teríamos os nossos rivais morando logo ao lado?

    falando do jogo... dentro da Europa, o futebol espanhol é o único que realmente me agrada... E o time do Barcelona é um absurdo.

    ResponderExcluir
  3. Grande texto, Li! Mas eu não espero menos de vc, então... =D

    Realmente, lindo ver o sucesso de um time que rema contra a maré poluída do futebol de hoje em dia.

    ResponderExcluir
  4. isso aí, Livia! Eis um exemplo a ser seguido. Dizem que os catalães são "cheios de si". Nesse caso, o orgulho é totalmente justificado. Parabés ao Barça e a você!

    ResponderExcluir
  5. Brigada a todos!! É o tipo de texto que é muito bom de escrever.

    Miatã, legal sua "lembrança": David Villa também merece ser citado aqui.

    Daniel, o Espanyol recebeu forte apoio do franquismo também. Mas o grande rival tornou-se o Real Madrid, coisas do futebol! Não tem explicação muito lógica, né?

    Lulus, tão bom ver um exemplo positivo, né?

    ResponderExcluir