sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

15 anos de 1995




Em 17 de dezembro de 1995 o Botafogo sagrava-se Campeão Brasileiro após empatar em 1 a 1 com o Santos na final.

Botafogo e Santos reeditavam em 1995 o clássico alvinegro que representa o que de mais belo e elegante há no futebol brasileiro.


Mas essa final não foi exatamente elegante. Contamos com Vagner, nosso grande goleiro, para fechar o gol de um lado, e Túlio, eterno artilheiro, para encontrar o caminho da consagração do outro.



Sei que estou devendo um posto sobre nosso título recém conhecido de 68, mas o de 95, esse significa muito mais para mim, que já nessa época acompanhava o Fogão (já era viva, então isso era possível) e me divertia com as peripécias de Túlio (ídolo), sempre botando fogo no jogo e lenha na fogueira nas provocações aos adversários.

Há outros heróis nesse título, mas que não chegam ao brilho de nosso artilheiro. Além dele e do goleiro, destaco nosso técnico Paulo Autuori, que viu sua carreira deslanchar após a passagem vitoriosa pelo glorioso.

Existe um paralelo entre nossa conquista de 95 e o momento que vivemos agora: o marketing. Nessa época, apoiado nas vitórias e no falastrão centroavante (que vendedor!!!), o Botafogo ajudou a criar um refrigerante. Antes do patrocínio, as pessoas mal sabiam falar aquele nome, muitos achavam que era Zup, mas com essa parceria, o Brasil aprender a falar Sevenap e nós, botafoguenses, incluímos o item em nossa cesta básica.



Vivemos hoje um momento muito bom do marketing no Botafogo, mas está na hora de conseguir outra parceria histórica como essa para estampar na camisa. Fazer o que? Com a profissionalização do futebol, sem um bom patrocínio não se vai longe. Seria interessante uma marca que junto com o clube brilhasse no cenário nacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário