quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Um estádio pra chamar de meu... e?

Agora um promotor diz que a obra pra construir o tal do "Fielzão" é ilegal. Governo Federal, estadual e municipal, juntos à CBF, estavam fazendo a festa, já se falava de novo que a abertura da Copa 2014 seria em São Paulo. Um estádio novo, para 65 mil pessoas. Necessário? Possível? Sinceramente, parece que quase ninguém se importa com nada disso. Mas vamos por partes.

  • Primeiro, a capacidade. O pré-contrato do Corinthians com a Odebrecht é para um estádio de 48 mil lugares. Ou seja, nem começou a construção e já falam em expansão.
  • Sabe como a Odebrecht vai pagar? Com um empréstimo do BNDES. (Pra quem não lembra, Odebrecht é aquela empresa que ganha milhões e milhões com a reconstrução de Angola depois de décadas de guerra civil no país, e também uma das responsáveis pela cratera na obra do metrô em São Paulo). O Corinthians tem um prazo de entre 10 e 15 anos pra pagar.
  • Mas, afinal, pagar quanto? Aí a coisa fica bem mais complicada... Estima-se um gasto de R$600 milhões. Os arquitetos responsáveis falam que isso é exagero, que seriam "só" R$400 milhões. Tanto faz: o Corinthians diz que vai custear R$300 milhões. Ou seja, faltam, por agora, pelo menos R$100 milhões (sendo bem otimista), certo?
  • Continuemos... só que o Corinthians fala em um estádio que, por esse valor, é para 48 mil lugares. E olha que coisa: a FIFA exige que o estádio de abertura tenha... 65 mil! Alguém consegue fechar essas contas? Matemática nunca foi meu forte, confesso, mas nem fazendo muito esforço dá pra engolir.
  • E sabe da onde o Corinthians diz que tira os tais 300 milhões? Em parte, de sua bilheteria. Segundo a Folha de São Paulo, se for assim, o clube levaria 22 anos pra pagar a conta. Lembram: o prazo era de 10 a 15 anos...

Tá tudo, tudo errado. Não sou ingênua (e sei que nem vocês) de não ver a maracutaia suja dessa história. Já sabemos pra quem vai sobrar a conta. Vários jornalistas estão revoltados e denunciando essa obra surreal (é sério que o Morumbi não serve?), assim como a obra do Maraca (mais uma? E agora de 3 anos?) e tantas outras pelo país por causa da tal Copa em 2014. Então vou criar mais uma polêmica (que na verdade também já existe): pra que porra a gente precisa de tantos estádios?

Não é porque meu clube possui o meu, não. Já falei em algum momento aqui que considero o Maraca mais meu estádio que o Caldeirão. Acho um super perrengue ter que enfrentar o trânsito e a falta de segurança pública pra chegar até o São Januário, e acho que o Maraca é um palco sem igual. Pode ser porque cresci ali, do ladinho... mas acho que só isso não explica, né?

Com as obras do Maraca a discussão sobre a construção de estádios chegou ao Rio de Janeiro também. Para muitos, Flamengo e Fluminense precisam de um estádio próprio, "não podem continuar assim". Se você é torcedor de um dos dois times, tente colocar seu orgulho de lado e reflita: precisam, mesmo? De verdade é uma necessidade construir mais 2 estádios? Fala-se que o do Flamengo seria em Caxias. Mas não o chamamos de "time da Gávea"? Ou seja, só pra ter "um estádio pra chamar de meu", serve qualquer coisa? Nada contra caxias, por favor, nem vou perder meu tempo me justificando. Só acho que, se hoje dizem que as torcidas não vão ao Engenhão, que acha que vai pra Caxias? E nem surtemos pra considerar um estádio na Gávea.

Voltamos pra questão econômica: de onde sairia todo o dinheiro pra pagar esses estádios? Acho um absurdo que clubes que possuem patrocinadores que pagam salários milionários para jogadores e técnicos paguem uma obra em 15, 20 anos. É ridículo. Se a sua prioridade é ter uma folha salarial que inclui uma pessoa receber 700 mil mensais, então assuma suas prioridades. Claramente não é construir um estádio, né?

Desculpem, não entendo. Acho que o Maraca, São Januário e Engenhão são suficientes, e todos foram construídos em realidades diferentes da que vivemos agora. O Engenhão, que é o mais recente, não foi construído pelo Botafogo, não entra nessa discussão atual. No caso de São Paulo, gastar 600 milhões (que sabemos que serão mais) por capricho de dirigente é um absurdo, e mostra a lama em que está nosso futebol. Nem entro na discussão que devíamos estar planejando escolas, hospitais e não estádios. Isso é óbvio. Mas alguém para pra pensar em tranporte para o dia dos jogos, em organização urbana, manutenção etc? Não basta só erguer, tem outras variáveis...

Agora imaginamos a situação hipotética de que os 4 grandes do Rio e os de São Paulo construam cada um seu estádio. O Maraca e o Pacaembu vão servir pra que?

Sinceramente, já passamos da época de falar que futebol é só "pão e circo", que somos vítimas nas mãos de políticos e cartolas malvados. Isso também é responsabilidade nossa, e ficar aplaudindo só porque cada um quer ter o seu, não dá.

2 comentários:

  1. Livia, me senti praticamente vingada com o seu post, acho que você conseguiu tornar desnecessário que eu escreva o meu próprio sobre essa imbecilidade de estádio do Flamengo em Caxias. Ou então, só pelo meu ego, eu posso ignorar que vc já deu conta do recado, e escrever um só pra ter meu nome. Hmmmmmmmmmm...

    Tem horas em que o lado circo do futebol é tão patético que só pode remeter à palhaçada mesmo. É muito estereótipo do masculino que está sempre competindo pra saber quem tem o p maior, sinceramente, e nós sabemos que tem muito homem que não liga pra isso. Só os que têm problema de masculinidade (olha eu arrumando inimigos). E isso não é uma alusão à hetero ou homossexualidade, ok queridos?

    Isso é briga de torcida e, como vc falou, de dirigente, que precisa mostrar poder, influência e sei lá mais o que, por mais que seja, obviamente, burrice. Até agora não entendo por que razão o Morumbi foi realmente descartado. Não cola que seja mais fácil inventar a roda do que dar uma polida naquela pedra que estava no meio da estrada, já em formato meio cilíndrico, parecido com... UMA RODA! Cacete!

    Sem falar no que eu já comentei aqui antes, sobre essa coisa de Botafogo e Vasco entrarem numas de supremacia futebolística porque têm casa própria e não precisam pagar aluguel como Fla e Flu agora que estamos com o Maraca em obras. Grande bosta, se as pessoas não conseguem deixar de lado a rivalidade pra enxergar o que você acabou de reiterar aqui.

    Grandes estádios vão deixar de existir se seguirmos esse raciocínio simplista de que todo time grande precisa ter estádio. E os clássicos vão ser um saco. E um dia vamos pagar por termos provocado o fim do Maracanã.

    Não tenho vínculo com Morumbi, ou Pacaembu, mas tenho certeza que alguém por lá deve pensar como eu.

    Queria ter dito uma penca de palavrões, mas ainda estou em choque com o seu "porra". hahahahaha...

    Agora deixa eu respirar, esse tópico é muito sensível pra mim. =D

    ResponderExcluir
  2. De fato, numa análise social mais contundente é lamentável que esse papo tena vindo a tona. No entanto, não nos basta lamentar.
    Poucas coisas neste país unem tanto as pessoas como um clube de futebol. Estou falando de torcedores de bem, não de máfias fantasiadas de "torcidas".
    Mais do gritar nas arquibancadas dos estádios já construídos, é hora de levantar a voz pela não construção de novos elefantes.
    O Engenhão, por exemplo, já carece de obras. Francamente! Apenas para constar, sua inauguração data de 2007, se não me engano.
    Excelente post!!!

    Saudações!

    ResponderExcluir