terça-feira, 23 de novembro de 2010

Se pode resolver fora de campo....

Todos já devem estar sabendo do mais novo "Zidane-wannabe", Samuel Eto'o, atacante da Inter. O mais incrível é que, em campo, nada aconteceu ao jogador camaronês, nem ao menos um esporrinho do juiz, simplesmente porque este não viu o lance. Porém, como há mais câmera em volta do campo do que gente, o registro foi feito, em diversos ângulos diferentes. Então, a cabeçada custou caro ao jogador, que pegou três jogos de suspensão e ainda vai ter que pagar uma multa de R$ 70 mil, julgado pelo Tribunal Desportivo Italiano, alegando que a prova de TV foi determinante para a punição.

Palmas para ele!

O que talvez poucos saibam, é que outro lance bizarro aconteceu, desta vez no Campeonato Holandês, o atacante Luis Suárez, do Ajax - ele mesmo, o salvador uruguaio, que "defendeu" um gol com as mãos, gol esse daria a classificação da seleção de Gana, sendo expulso em seguida - aprontou mais uma: lascou uma mordida no ombro do rival Otman Bakkal, do PSV, no jogo neste último domingo.

Se preparando para degustar o ombro do rival

O jogador acabou sendo punido pelo próprio clube, sendo suspenso por 2 jogos do Campeonato Holandês (obviamente, no próximo jogo da Liga, ele estará lá, contra o Real Madrid). O atacante da seleção uruguaia poderá, ainda, ser punido também pela Associação Holandesa de Futebol (KNVB). O Ajax disse em seu site oficial que Suárez pagará uma multa de valor não revelado, que será doada para caridade. Mas sabem o que o árbitro da partida fez? Absolutamente nada. Isso mesmo, mais uma vez, um jogador não foi punido por desatenção do juiz.

Aonde eu quero chegar com isso?

Ora, já que a Justiça Desportiva usa de meios eletrônicos como prova cabal para punir um ou outro jogador, por que já não instituir o uso do ponto eletrônico (ou qualquer outra tecnologia que o valha) para auxiliar a arbitragem?

Não vou nem entrar no mérito dos inúmeros resultados que já foram decididos em lances onde o árbitro errou, se não ficaria aqui escrevendo para todo o sempre.

Me entristece pensar que a impressão que passa é que não existe vontade de minimizar o erro humano, já que a margem para o erro se torna necessária para uma série de manobras, das quais já conhecemos de cor e salteado.

4 comentários:

  1. A foto dos dentes do Suárez é tão viva que só consegui imaginar tomar uma mordida disso e senti até o tétano. Sem falar q detesto esse cara por ter eliminado Gana, desculpa.

    Mas ia ter muito juiz perdendo o bonus de Natal se tivesse chips e afins ajudando a arbitragem. E bandeirinha tb. Imagina o tanto de impedimento q não iam poder marcar, gols q não iam poder anular, pênaltis que iam ter de apitar ou não... Nossa, eles iam ficar muito putos.

    ResponderExcluir
  2. Pois é, iriam praticamente perder o 13o deles....

    ResponderExcluir
  3. é delicada essa questão da tecnologia... mas não vejo porque não mexerem em alguns aspectos.
    Aquele gol da Copa que a bola entrou um metro e o juiz não deu (acho que foi da Inglaterra), por exemplo...

    ResponderExcluir
  4. Foi exatamente do jogo que eliminou a Inglaterra. Como disse o LC Jr, foi muito gol.

    ResponderExcluir