domingo, 7 de novembro de 2010

Experimentações quase na base da tabela

O assunto que vem me incomodando e sobre o qual quero realmente falar terá de esperar, já que é daquelas coisas que você rumina bastante antes de transformar em um texto.

Enquanto isso, hoje temos um jogo contra o Atlético PR e continuamos com aquela discussão besta sobre o ataque. Afinal, vamos de 3D ou DVD? É engraçado, confesso, que fiquemos brincando com as tecnologias pra definir as possíveis organizações da comissão de frente do Fla, mas a graça acaba quando ambas se mostram obsoletas e revelam aquele mesmo problema sobre o qual comentei algumas (boas) rodadas atrás.

Precisamos de um ataque que pressione e resolva pra que não sobrecarreguemos a parte defensiva.

Ok, nossos zagueiros fizeram gol no Ceará. Aham, e daí? Ligo muito não se no fim das contas o jogo termine empatado.

Aí Luxa, que está bem pau da vida com a imprensa bisbilhotando seus hábitos fora de campo (interessante fazerem isso com um técnico, em vez de um jogador, pra variar), decide convocar um novinho pra fazer companhia a Renato no meio-campo, pra ver se cria mais jogadas.

Sim, especialmente porque ele vai de Val Baiano na frente, ele precisa que criem jogadas e botem a bola na área. Val não é atacante criativo, é fazedor de gols. Ele não vai atrás da bola, ela tem de vir redonda pra ele, daí sim ele cuida do assunto.

Acho digno. Se Vanderlei respeita um zagueiro-zagueiro, pode respeitar um homem gol-homem gol (não tive coragem de dizer atacante-atacante).

O problema é essa dificuldade toda de armar um time e contar com espasmos de funcionalidade e o fracasso da galera lá na zona de rebaixamento pra manter o Flamengo nessa desconfortável posição do "vai que cai?". Ninguém curte ficar ali beirando o Z4, qualquer um que demonstre não se importar de estar ali precisa de ajuda profissional pra ver como vai a cabeça ou então não merece estar defendendo o clube, porque vai ser acomodado assim na casa do cacete, sabe?

Tenho me abstido de comentar os últimos jogos, eu sei. Às vezes acho mais fácil respirar fundo e falar sobre outras coisas, porque falar qualquer coisa sobre desempenhos tão blé me parecem pura redundância. Vou ficar cornetando? Vou falar que foi ruim? Vou pedir pra fazer melhor?

Tem horas que me incomoda simplesmente repetir o que todo mundo está dizendo, então fico nessa de não falar nada, ou falar sobre outra coisa.

E, mesmo que todo mundo esteja lá dando seus palpites envolvendo a derrota do Flamengo, sei que é mais porque estão torcendo nesse sentido do que por realmente acharem que esse seja o resultado justo pelo aspecto técnico.

Tanto faz. Meu coração continua dizendo "Vai pra cima deles, Mengo!"

3 comentários:

  1. Acho que agora a "luzinha" vermelha acendeu...creio que o Luxa não vá entrar de brincadeira contra o Galo no sabado.

    ResponderExcluir
  2. Precisa chegar nesse ponto pra acender a luzinha vermelha, Pedrinho? Acho muita falta de vergonha na cara acender luzinha vermelha na 35ª rodada... Vou te dizer...

    ResponderExcluir
  3. Nanda, já disparou sirene e o escambau...
    3D ou DVD, não dá pra ver ataque ali nem com óculos fundo de garrafa.
    Quando o Fla foi pra cima no 2º tempo ontem, a força foi o Marquinhos, Corrêa + Diego M.
    Soube sábado que Diogo e Deivid (!) custam 300 mil a mais que Adriano e Love (que fizeram lhufas no 1º semestre)...
    Nem Bin Laden seria tão criativo se quisesse destruir nosso mais querido...

    ResponderExcluir