quinta-feira, 14 de outubro de 2010

A resposta veio em campo

Ontem fui dormir com aquela sensação boa de trabalho feito. O Vasco entrou em campo contra o Corinthians em um jogo "velho", e que talvez por isso muitos consideravam já decidido. A favor do clube paulista, claro. Quando o jogo foi adiado em 01/09 a situação de ambos os times era bem diferente: o Gigante da Colina naquela agonia de empates e sem vitórias, vendo as chances de levar o título (sim, ainda pensávamos nisso), escorrendo pelas mãos. Já o Corinthians era só festa: com a "benção" (melhor ter cuidado e pensar na responsabilidade jurídica) da CBF adiava o jogo porque celebrava seu centenário (qual a melhor forma de celebrar se não com um jogo de futebol? Vai entender), e também a construção de um novo estádio e dava declarações de confiança do título do Brasileiro, com a certeza que o Fluminense em algum momento ia escorregar. E até escorregou, mas o Corinthians estava metido em tal soberba que "esqueceu" que também ele podia escorregar... e aí estamos.

Mas me interessa o jogo de ontem. 1 mês e meio depois da data oficial, a partida tinha outra cara. O Corinthians há 5 jogos sem saber o que é vitória. O Vasco na instabilidade dos empates com algumas poucas vitórias, e quase sem derrotas. Nesse quadro, nós nos tornamos os favoritos. Quem diria. E foi assim que entramos em campo. No nosso campo. Sem dar atenção para a soberba corinthiana e pensando em fazer a nossa parte. Aos 9 minutos do primeiro tempo começamos a mostrar de quem era o jogo.

Felipe jogou muito, e nem vou falar que foi uma noite inspirada, porque pra mim ele mostrou o que sabe fazer. Não foi inspiração; aquele é o Felipe, e por isso fizemos tanta festa quando ele voltou pra casa. Parece que ele conseguiu se encontrar no time, deu cada passe que vou te contar. Claro, não posso deixar de falar do novo amor da imensa torcida bem feliz: nosso artilheiro Éder Luis. E foi assim que o Vasco fez o Corinthians dançar conforme à sua música no primeiro tempo, 2X0.

Concordo que o segundo tempo foi decepcionante comparado ao nível do anterior. Os dois times cansados em campo, e começou aquela tensão para nós vascaínos. Será que outra vez o time ia ceder o empate? Afinal, pra mim já está claro o problema: a falta de pontaria + o cansaço. O time dá tudo que pode, garante a vantagem... e depois não consegue manter. Pois é, ontem conseguiu. Por isso considero que foi um bom segundo tempo para nós. Eu queria mais gols, mais emoção? Claro que sim. Mas inteligente é aquele que sabe trabalhar suas limitações. E ontem o Vasco fez isso muito bem.

E só pra criar polêmica: senti um gostinho de vingança no primeiro gol, do Zé Roberto, que estava, sim, impedido. Depois de tanta arbitragem a seu favor... o Corinthians agora sofreu como os mortais. E aí é ruim, né?

E seguindo na polêmica, merecidamente garantimos ao Fluminense o título de campeão do primeiro turno (sem saber muito bem o que importa isso). O clube que realmente mereceu, que jogou futebol mais do que apareceu fazendo politicagem na mídia.

Talvez seja exagero, sentimento de torcedor. Mas ontem quando terminou o jogo os vascaínos (e acho que muitos outros torcedores também) sentiram um prazer especial. Foi quase uma resposta à toda essa palhaçada de novo estádio, à politicagem do futebol brasileiro. Ontem não ganhou o queridinho da CBF; ontem ganhou o melhor em campo. Como deveria ser sempre no futebol.

10 comentários:

  1. Muito bem dito Livia.
    Acordei hoje com o mesmo sentimento. Alguns amigos meus me perguntaram o porque desta alegria em cima de uma vitória simples.
    A resposta certa seria dizer que o Vasco simplesmente ganhou de um time que está sendo beneficiado em vários momentos no ano de seu centenário (onde já se viu, folgar no dia do centenário pra fazer show...)e que tem tido a arbitragem como grande aliada.
    Porém tive que responder de uma forma mais simples para ser entendido: "Um 'Timão' jamais será maior do que um 'Gigante'".

    Abs e novamente bom post d=D

    ResponderExcluir
  2. Li, você sabe, pela nossa conversa no Twitter, que eu torci bastante pelo Vasco ontem. Fiquei preocupada quando percebi que um dos problemas era o gás que o time dá no começo do jogo, fica difícil manter o ritmo no segundo tempo. O equilíbrio veio do adversário cansado, que imprimiu a mesma intensidade e chegou igualmente cansado (ou mais, né?) na segunda metade do jogo. O Vasco mereceu mesmo, por todas as razões imagináveis. Quando me perguntaram qual seria o placar, juro que 2x0 brilhou como neon na minha mente, mas acabei sendo mais conservadora e apostei no 1x0 (gol do Éder Luis). Acho que eu antecipei a polêmica quanto ao impedimento do Zé Roberto. Oh, well... ;)

    ResponderExcluir
  3. Binho, brigada. Deu vontade de abrir a janela e dar aquele grito ontem!

    O futebol é apaixonante por isso. Podem fazer politicagem e favorecer fora de campo. Mas com a bola rolando, mesmo com ajudinha de muitos árbitros, de vez em quando o futebol mostra que o bom jogo está acima de tudo.

    Nanda, o time vai fazer isso sempre, é a melhor maneira que encontramos com o que temos. Por isso que eu me irritava com a insistência em correr os 90min, é dar soco em faca. É muito mais inteligente (e vimos isso ontem) administrar suas falhas e jogar com a sua realidade. Claro, o adversário também estava fraco e cansado. Mas não é qualquer adversário, está em terceiro na tabela e vinha desesperado pela vitória. Dessa vez o Vasco não surtou, administrou a vantagem e garantiu os 3 pontos. Pensa só: se tivéssemos feito isso contra o Atlético MG, contra o Botafogo, Avaí e Grêmio (todos jogos que empatamos nos dramáticos 5min finais)... seriam 8 pontos mais, estaríamos no G3!

    ResponderExcluir
  4. E eu torci foi muito também, visse?! Não só pelo meu time, mas pelo próprio Vasco. Além do mais, aqueles comentaristas estavam me irritando! Só falavam de como o Corinthinas errava, e no que tinham de mudar para conseguir fazer gol. Como se a vitória não fosse mérito do clube da Colina, e sim por falha do adversário! Ahhh paulicéia desenfreada........

    ResponderExcluir
  5. Nem me fale de comentaristas! Não acreditei quando escutei sobre uma jogada no segundo tempo que o Corinthians não devolveu o lateral e o Prass se estressou. Os comentaristas dizendo: "É fair play é legal, mas não é regra. O Corinthians não fez nada errado, está no seu direito de bater o lateral se é deles. Fair play é legal, mas não é obrigatório". Claro, é legal se favorece ao clube que eles torcem. Queria ver se o Vasco tivesse feito isso, ia começar o discurso da crise de ética do futebol carioca e blá-blá-blá...

    ResponderExcluir
  6. Mimimimi... Eu ri com o Caio pedindo Defederico, dizendo que ele ia mudar o jogo, aí o cara entra e zzzzzzzzzzzzzzzzzzz... Nada.

    Outro momento Caio foi qdo o Corintiano deu uma joelhada na lombar do jogador do Vasco numa jogada no alto e o cara ficou lá caído no chão, sentindo dor, e o comentário "O Corinthians está agredindo pouco". Ok, o contexto era outro, mas foi infeliz, hein?

    É tipo botar PV Vasconcelos pra comentar jogo do Flamengo. O cara vai gastar 90 minutos e os acréscimos!!

    ResponderExcluir
  7. Engraçado é que nas oitavas da libertadores não lembro de nenhum(a) vascaino(a) com "raivinha" do Corinthians. Rs

    Brincadeiras a parte, se o adiamento dessa partida de ontem faz parte da história de que a CBF estava beneficiando o timão, ontem deu errado, não é exagero dizer que se esse jogo tivesse sido realizado na 18ª rodada fatalmente o Corinthians teria ganho a partida. Os caras vieram com quatro desfalques entre eles seus principais jogadores no campeonato, Jorge Henrique e Bruno Cesar(na época só teriam o desfalque do Elias). Lógico que isso não tira os méritos do Vasco, ma é inegável que o PC adota um esquema muito perigoso: partir com tudo em busca do gol e no segundo tempo ver seu time recuar perigosamente. Tem sido assim nas ultimas partidas, ontem também, acontece que o Corithians não teve a competência que tiveram Gremio, Botafogo...

    ResponderExcluir
  8. Quem mandou o Coringão querer comemorar o Semternada e postergar o que vc considerou como "vitória certa"?!

    Pegaram um Vasco em boa fase, e mérito do Vasco sim! O time do Corinthians podia estar desfalcado, mas não creio ser essa a razão da escassez de vitórias, já que o desfalque foi pontual....

    ResponderExcluir
  9. Concordo com a Marcela. Aliás, concordo com o q a Lívia comentou no começo do texto também. Essa história de adiar jogo pra fazer viradão do centenário foi esquisita no talo. Não imagino forma melhor de se comemorar aniversário de um time de futebol do que jogando futebol, porra! Comparando os times na época, o Corínthians teria levado fácil. Agora pagou o preço de ter um time menos motivado, galera cansadona, se arrastando, e o Vasco mais organizado e querendo ganhar. Total mérito do Gigante. De repente o Mano botava mais ordem na casa do que a gente imaginava, o que me faz temer pelo Corinthians, mas vislumbrar um futuro bem bacana pra seleção. Fora isso, muitas questões precisam ser pensadas no Timão, tipo esse excesso de democracia em que a torcida interfere demais nas questões operacionais do time. É uma torcida forte, grande, importante, mas tem que saber que torcida não manda no time de fato. Tem que rolar esse limite. Outra coisa problemática é que um jogador como Ronaldo tenha tanto poder a ponto de sair na imprensa que ele estava sendo usado na suposta negociação com Parreira, a fim de convencê-lo a assumir o posto do Adilson, além do cara praticamente se escalar. Quer dizer... O Flamengo bem sabe que farofa não tem como dar certo.

    ResponderExcluir
  10. "Vitória certa" não existe, nem mesmo pra quem compra juíz, CBF, quem quer que seja. É impossível falar que o Corinthians teria vencido se o jogo fosse em setembro. E se o Vasco ganhasse, se inspirasse na vitória e desse aquela arrancada, estilo o Flamengo ano passado? Também era certeza que o Fluminense caia ano passado, lembram? Teve até matemático envolvido nas contas!

    Olha, uma das coisas mais importantes que minha professora de História me ensinou no colégio é que não existe "Se" na História...

    Mérito do Gigante da Colina, que mesmo com essa implicância com os empates, com os dramáticos 5min finais, com jogadores machucados (como todos clubes), com o drama da segundona ano passado, fez o que um time deve fazer: jogar bem futebol. Aí, não tem favoritismo! :)

    ResponderExcluir