terça-feira, 5 de outubro de 2010

Recorte de um protesto

Relato de um Rubro-Negro sobre sua participação no protesto ocorrido semana passada na Gávea, na íntegra.

O Flamengo é nosso...

É inevitável não escrever sobre o que aconteceu com o Zico. Mas para isso voltarei até o ano de 2009.

Por volta das 19:00 do dia 06/12/2009 voltávamos a ser campeões, voltávamos para o topo, para o lugar que nunca deveríamos ter deixado. O maior clube do Brasil estava em festa e a maior torcida do mundo fazia planos. O título veio, mascarou mais um ano de mandos e desmandos, e deu esperanças de que um excelente 2010 viria. Mero engano...

Começa 2010 e Patrícia Amorim assume a presidência do Flamengo. Um misto de esperança e desconfiança tomam conta do clube. Na verdade não gosto da presidente. Não a julgo como mal caráter, até a acho bem intencionada, mas não a acho qualificada o suficiente para comandar o Flamengo. Para completar, não vejo nela a imagem de uma pessoa que tenha pulso para comandar o Flamengo. Apesar dos pesares, torço para que tudo dê certo. Não deu... Técnico brigando com jogador, jogador brigando com dirigente, dirigente brigando com dirigente e a presidente apenas observa o que está acontecendo.


Acompanhamos o total abandono do departamento de futebol, até que no final de Maio recebemos uma ótima notícia: Zico voltaria e seria o responsável pelo futebol do Flamengo. Reconheço que fiquei muito contente com a notícia, mas por outro lado me perguntava se era a hora do Galinho voltar. Assim como a grande maioria, temia pelo desgaste da figura do ídolo. Não que eu o ache incompetente, mas temia a reação dos eternos sanguessugas da Gávea.


Zico chegou querendo implantar um novo modelo de gestão que visava o fortalecimento das divisões de base através do investimento na estrutura do clube. Interessante, não? Muito! Zico queria AUTONOMIA, CARTA BRANCA para seguir um PLANEJAMENTO que daria resultados a médio e longo prazo.

O trabalho começou e então vieram alguns acertos e outros erros. Até aí, tudo bem! Todos estão sujeitos a erros, é assim com qualquer mortal que tente desenvolver algo. Podemos criticá-lo, contestar o seu trabalho e até pedir mudanças, o que não pode é atacá-lo covardemente da forma que alguns "dirigentes" fizeram...

Então chegou 1º de Outubro, o dia mais triste da história do maior clube do Brasil. Conseguiram realizar o que estavam planejando há anos: SUJARAM A IMAGEM DO FLAMENGO. Depois da série de ataques, Zico fez o certo e entregou o cargo. Saiu por cima, pela porta da frente e com todo o apoio do verdadeiro torcedor. A imagem do ídolo continua forte, talvez mais forte do que nunca, mas a imagem do Flamengo... Sempre senti orgulho em vestir a camisa e sempre me senti VENCEDOR; mas pela primeira vez senti VERGONHA de ser torcedor do Clube de Regatas do Flamengo. Nenhuma derrota dentro de campo me fez sentir o que senti naquela manhã de Outubro.

Mas a vida segue e não podemos ficar parados. Após uma breve leitura das notícias descobri que marcaram um protesto na porta da Gávea. Aliás, parabéns para quem teve essa idéia! "Animei" de dar uma passada por lá, mas antes refleti um pouco sobre o que estava acontecendo e qual seria a finalidade da minha "visita" à Gávea. Não queria a volta do Zico, eu queria a volta do FLAMENGO. Dou total apoio ao Zico, mas não o quero no Flamengo. Não por agora. Quero que o Flamengo volte a ser Flamengo, para então poder receber o seu maior ídolo da forma que ele merece. Com dignidade e principalmente RESPEITO. Gostaria muito de ter visto a torcida invadindo a Gávea e mostrando aos "dirigentes" que quem manda no Flamengo somos nós... Não é uma invasão com intuito de vandalizar o espaço, é uma invasão para mostrar que o Flamengo é nosso e não dessa corja imunda que lá "reina". Quem sabe num futuro bem próximo... Mesmo assim o protesto foi muito interessante, chamou bastante a atenção, apesar do número de presentes, e, na minha opinião, trouxe a mídia para o nosso lado. Saímos de lá sem nenhuma novidade, mas mostramos a nossa insatisfação! Parabéns aos rubro-negros que, assim como eu, enfrentaram uma sexta-feira chuvosa e com trânsito caótico no Rio de Janeiro.

Temo muito por esse final de ano. O Flamengo mais do que nunca se encontra destruído. A presidente está sozinha e não tem mais uma figura forte para blindá-la. Infelizmente, nomes antigos estão sendo cogitados para assumir o lugar do Zico. Tem ex-presidente querendo ver o circo pegar fogo. Espero que a Patrícia acerte nos nomes que serão anunciados, até porque se não acertar, vão acertar um direto nela.

A corrida agora é para reescrever a história do clube. Usar esse fato lamentável como marco e tirar dele tudo que for possível para construir um novo Flamengo.

E que comecem logo com o PLANEJAMENTO para 2011... 

Daniel Augusto


Foi lendo esse texto do Daniel (muito obrigada, Daniel!) que eu entendi uma coisa, que estava me incomodando desde ontem. Em outro texto inflamado, de autoria atribuída a alguém próximo ao Capitão Leo, foi sugerido que Patricia Amorim não teria mais o direito de ser presidente do Flamengo por ter colocado o Galinho acima do clube. De todas as coisas por que poderia ser questionada, dessa vou isentar a presidente.

Desse Flamengo que vemos agora, Zico está realmente muito acima. Mas o Flamengo de Zico, esse sim era supremo.

Saudosas Saudações Rubro-Negras

7 comentários:

  1. Texto bastante interessante. Acho que torcida deve separar o time disso tudo aí. Continuar a apoiar os jogadores e o novo técnico porque o clima deve estar péssimo. Mas acho tb que devemos pressionar por mudanças. E nada de vestir preto ou fazer mobilização no tuiter. É o mesmo que abraçar a Lagoa ou vestir branco pela paz no Rio, ou seja: não leva a nada. Sinceramente não acredito no rebaixamento, mas acho que se bobear a Patrícia não termina o mandato.

    ResponderExcluir
  2. Esse tal de Daniel Augusto tem futuro, hein. Acho que vc deveria convidá-lo semanalmente para uma participação especial no Blog das Luluzinhas! hahahahahahahaha

    ResponderExcluir
  3. Belo texto, Daniel!

    É uma pena o que estão fazendo com o Flamengo, covardia mesmo. Tá todo mundo tirando o seu por fora e não estão pensando verdadeiramente do clube. As vezes penso que o Fla deveria cair pra segundona, quem sabe pra terceirona. Será que só assim esses sanguessugas serão enxotados da Gávea?
    Quem sabe o maior protesto da torcida seria esvaziar o estádio mesmo? Enfim, eu estou muito triste com esse flamengo que não é Flamengo.

    ResponderExcluir
  4. É muito difícil na vida, separarmos razão da emoção, tanto na vida pessoal, profissional e amorosa...
    E no caso da nossa relação amorosa com o Flamengo, muitas vezes misturamos os pensamentos, os sentimentos e o certo e errado...
    Um dos grandes problemas que eu vejo nessa confusão toda Flamengo x Zico x Patricia é que estamos falando do Flamengo entidade, Zico empresário e não jogador e Patricia política e não a nadadora...
    Digo isso pq tanto o Zico quanto a Patrícia, como ex-atletas importantes para o Clube como foram, nunca devem ser esquecidos e sempre exaltados por tudo que fizeram ao nosso mais querido, mas a partir do momento que eles resolvem entrar em novos cargos, devem sim, continuar tendo o nosso respeito e admiração, mas ao mesmo tempo devemos cobrá-los como qualquer outro presidente ou executivo que cobraríamos.
    Não vou entrar no mérito do certo e errado, pois como sempre será um debate muito aberto, até pelo fato de nesses últimos dias termos 40 milhões de torcedores do Mengão discutindo tudo isso, mas apenas 2 mil votaram nas últimas eleições, mas acho que essa movimentação toda está surgindo para ligar um alerta e o principal, todos pararem para pensar o que tem feito pelo Flamengo ao invés de reclamar?
    Na sexta pela manhã, um amigo meu torcedor do Mengão fanático, me ligou revoltado com tudo que acontecia, ai eu perguntei aonde ele remava e se ele era sócio do Flamengo (OBS: ele rema no Botafogo pq é mais “perto” da casa dele e não é sócio do Flamengo). Na hora do almoço um outro amigo que no último jogo antes do Maracanã fechar comprou uma camisa pirata do Flamengo, também me ligou revoltado e eu perguntei se ele era sócio e comprava produtos oficiais...
    Ou seja, a grande movimentação que deve existir no Flamengo é de pararmos de reclamar dos outros, fazemos nossa parte e ai sim, mudarmos o Flamengo...
    O Zico é e sempre será o eterno ídolo do Mengão, a Patricia foi e sempre será uma das grandes nadadoras do Flamengo, mas e nós? E a Torcida? O que temos feito para mudar isso? Reclamar, reclamar, reclamar não é o suficiente... Temos que ser sócio, participar do Clube, participar das decisões, pois do jeito que está com o Flamengo com toda eleição tendo 1, 2 mil pessoas votando, chegamos a conclusão de que pior do que os erros de quem está lá dentro é a omissão de milhares de Rubro-Negros...

    Virada a página, não é hora do Zico da entrevista, da Patricia da entrevista e nem de revolta contra o Luxemburgo, Jogadores, Diretoria... É hora de cada um fazer a sua parte, virar sócio e o principal, ir ao estádio e incentivar o Mengão, independente de qualquer coisa para demonstra, antes de mais nada, que acima de tudo somos rubro-negros...

    Uma vez Flamengo, Sempre Flamengo!

    Saudações Rubro-Negras

    ResponderExcluir
  5. Até acho que a torcida é apática em alguns momentos... mas o Flamengo não possui um programa de sócio que traga o torcedor para dentro do clube. Os preços cobrados para tal são incompatíveis com a grande realidade da torcida rubro-negra.
    Sem contar o sócio off-rio que tinha um plano até interessante... os capangas de dentro da Gávea aumentaram o preço desse sócio pois viram que estavam criando um movimento de oposição para em breve lançar um candidato...

    E nesse protesto que teve, levantamos essa questão do sócio... e assim continuará a ser, cobraremos a criação de um projeto de sócio que seja viável... não importa se será sócio-torcedor ou não...

    ResponderExcluir
  6. Daniel essa é a briga sadia e discursso que temos adotar...
    Não adianta ficarmos brigando com quem está com o poder, temos que nos mover e tentar viabilizar que a torcida assuma o poder.
    Acho por exemplo, que juntando um grupo signifcativo de rubro-negros e assinaturas, usando a pressão sadia da midia, conseguimos nem que seja a força, a criação de uma nova categoria ou a mudança nos valores dos panos atuais...
    A hora é de união...

    ResponderExcluir