sábado, 9 de outubro de 2010

Não está tão mal assim, vai

Quando o Horcades disse que só o azar tiraria esse título do Fluminense, eu acho que ele usou um eufemismo: o azar ao qual ele se referia pode ser substítuido pelo termo "lesões consecutivas e ininterruptas".

O time era pra ser um, mas não é! Pode ver, todos os jogos desde que o time se estabeleceu tiveram algum desfalque de um jogador considerado titular, seja por lesão, seja por convocação (valeu, Mano! Fazendo favor pro Coringão mesmo não estando mais lá! Se ele pudesse convocar o Conca, duvido que não convocasse. Já que é pra chamar um jogador crucial e, dessa forma, desestabilizar o time, pelo menos que seja pra colocar o cara pra jogar, né, gente boa?!).

Marquinhos, o suposto substituto do Mariano, chegou, estreiou, errou nos 3 lances que originaram os gols do Santos, se machucou e já desfalca o time, que contará com Thiaguinho improvisado de lateral, no super-jogo de amanhã, contra o Cruzeiro, em Uberlândia. Curti isso não, mas a falta de opção não nos deixa agir de outra forma.

Eu acho que no DM do Flu devem ter umas belas moças, oferecendo uva na boca dos jogadores, abanando-os com folhas de palmeira, semi-nuas. Deve ser assim, irresistível para qualquer fanfarrão, carioca ou não.

O que quero dizer é: mesmo com todos os desfalques, todas as lesões, todas as convocações (tá, só uma, mas suficiente pra fazer estrago), permanecemos na liderança isolada. Dá pra dizer que se estivéssemos completos, poderíamos estar mais disparados lá na frente? Não sei, talvez sim, mas talvez não.

Só sei que foi assim...

Em tempo: Parece que na disputa entre Montillo e Conca, a galera tá apostando mais no jogador com nome de licor. Eu aposto no meu argentino, sempre!

Nenhum comentário:

Postar um comentário