segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Mais um Flamengo e Vasco

Hoje foi daqueles dias em que quase chorei de saudade do meu PFC, porque poderia simplesmente ter achado o canal lá na NET e sentado confortavelmente em meu sofazinho pra assistir o clássico. Estava esperançosa, confiante de que o Mengão tinha achado seu rumo com Luxa, então seria só correr pro abraço.

Mas não, né? Tive que perrengar pra assistir a bagaça do jogo e só consegui ver mais ou menos o segundo tempo. Justo no primeiro, pelo que ouvi e li, o Vasco pressionou mais e conseguiu tirar um gol de um momento 3 Patetas da defesa Rubro-Negra (eventos mais comuns do que eu gostaria, especialmente com Welinton). Ponto por não desperdiçarem a oportunidade.

Vamos só entender que, quando eu disse que acreditava na vitória, não estava subestimando o Vasco, ao contrário do que 90% da minha torcida faz por default. A questão é que o time está com um estilo bem peculiar de jogo, pressionando muito no primeiro tempo e dando uma segurada no segundo. Considerando o jeito do Flamengo jogar com Luxemburgo, administrando legal o fôlego e tudo, eu imaginei que poderíamos até suar no primeiro tempo, mas desequilibrar no segundo.

E realmente voltamos mais ofensivos depois do intervalo, com mais volume de jogo, mas criando poucas chances de gol reais. Luxa tirou Deivid pra botar Diogo, acho que exatamente pra trabalhar melhor o ataque. Mas até agora não entendo a razão desse menino consumir fundos do Flamengo, porque em campo ele mais atrapalha que ajuda. Além de não chutar a gol, ele faz umas firulas esquisitas, perde bastante a bola. Acho queima de substituição.

Deu saudade de Val Baiano.

Fizemos um gol, sim, e foi um belo gol de Renato Abreu. Meu dedo do pé ainda o ama. Mas a grande polêmica ficou por conta da expulsão do zagueiro Dedé, que causou revolta no time de São Januário e, a meu ver, foi onde acabou a partida. Dali em diante, nada mais funcionou.

Felipe, Zé Roberto e mais alguns partiram pra cima de Gutemberg, alegando que a intenção do zagueiro era a bola, mesmo que ele tenha levantado bastante a perna e, logicamente, acertado a canela de Willians. Acho normal os companheiros reagirem a uma expulsão, mas a atitude dos vascaínos foi tão agressiva que eu achei que a partida fosse ser interrompida. Cheguei a ver a briga acontecendo, juro.

Depois, Felipe sustentou um que mais violentozinho, achei certo que PC o substituísse, porque a expulsão estava próxima e era certa. Todas as suas jogadas pós-saída de Dedé foram mais "intensas" do que o necessário. Ele estava claramente irritado.

Até achei que o juiz fosse pegar mais pesado com eles pra botar ordem, mas não vi acontecer. As faltas do Flamengo também começaram a ser mais duras, mas o foco do Mengão era mais buscar o gol da virada. A chance pintou, mas deixamos passar.

Era mais um clássico fadado ao empate.

Como pensei, o Vasco realmente segurou e trabalhou a retranca pra garantir o placar. Fernando Prass caiu duas vezes, sentiu o braço, a perna, chegaram a sinalizar que talvez precisasse ser substituído, mas foi só um susto. Serviu pra comer tempo do relógio e atrapalhar as tentativas do adversário. É claro que fez parte da estratégia, nessas horas, ainda mais com um homem a menos, tudo vale.

O vexame maior foi garantido pelo técnico, que foi convidado a se retirar por mau comportamento. Ao tentar dizer ao povo que ficava, a polícia foi chamada pra escoltá-lo até a saída.

Foram 5 minutos de acréscimo, bem pouco pra tanta confusão, e eu ainda fiquei com a impressão de que ele apitou antes. Beleza, 1 ponto ainda é melhor que ponto nenhum.

E aí o pessoal do Vasco saiu esbravejando, dizendo que o juiz errou e prejudicou o time com uma expulsão errada, que estava intimidando e batendo boca com os jogadores em campo. Felipe chegou ao cúmulo de dizer que, em caso de dúvida, o Fla sempre levava, que ele já tinha jogado pelo time e sabia disso.

Feio? Com certeza. Mais ainda porque só eles e a torcida deles acharam que o Dedé foi injustiçado. Eu não teria duvidado nem se fosse o Avaí ali no lugar do Flamengo.

E esse assunto ainda deve render bastante...

Comentário interessante de Lédio Carmona é que no Rio nós temos o hábito de apontar o dedo pra arbitragem sempre quando o time perde. Parei pra pensar que realmente fazemos muito, mas semana passada o Ronaldo alfinetou o juiz por ter anulado 2 gols do Corinthians, então acho que não é exclusividade nossa.

Bem, passou. Agora é o próximo jogo. E esse vai ser igualmente tenso. Vamos que vamos, né?

7 comentários:

  1. Dessa vez fui eu que acertei a previsão :)
    agora, o jogo não foi lá grandes coisas, né?? no fim, com cada time melhor em um tempo, o empate parece ter sido justo para todos.
    O juiz tava a fim de aparecer, deu muito showzinho e não deu os acréscimos devidos no final (quando o Fla levava vantagem)... não acho que os vascaínos devam reclamar dele.

    ResponderExcluir
  2. Pois é. Eles reclamaram que a expulsão foi prejudicial, mas acho que ele prejudicou mais o Flamengo do que o Vasco no fim das contas, porque nós estávamos pressionando mais quando Gutemberg decidiu que queria brilhar mais que o clássico.

    Mas foi meio que um duelo de vaidades depois de um tempo, o Vasco querendo "justiça" e o árbitro querendo o holofote. hahaha... Eles ficaram em uma queda de braço bizarra ali.

    E realmente, vc acertou! Na hora pensei isso... =P

    ResponderExcluir
  3. Renato Abreu: o homem-gol dos clássicos (se não me engano, só fez gol contra o Flu e agora contra o Vasco, confere?)

    ResponderExcluir
  4. Não, não confere!!! hahaha... Ele fez contra o Inter também!! GOLAÇO! =D

    ResponderExcluir
  5. Poxa, discordo de quando vc diz que o Vasco mandou no primeiro tempo. Os 15 min iniciais o vasco marcou muito bem(como sempre faz) a saida de bola do flamengo, que só entrou em campo depois do lance que o Leo driblou o Prass cruzou pro Kleberson e o zagueiro do Vasco tirou o gol. A partir dai o jogo ficou aberto e o gol do vasco saiu num momento q o flamengo estava melhor na partida(depois de um passe errado do Juan).
    Ao contrário do que os vascainos dizem, eu não acho que o Flamengo só empatou devido a expulsão do Dedé, que foi justíssima apesar de eu ter achado que ele não foi maldoso no lance. Alias no lance da expulsão, faltou peito pro arbitro pra expulsar o Felipe, que quase o agrediu.
    O que espantou nem foi a cera do Prass e as orações vascainas para o término da partida, mas sim o fato de o Vasco ter se acomodado com a pressão que estava sofrendo. Quanto ao Flamengo, só resta falar da falta de competência que teve quando tinha tudo pra virar a partida.

    ResponderExcluir
  6. Pois é, também achei isso, o jogo caminhava para um futuro monótono quando rolou esse lance. A partir daí, o Vasco partiu pra cima.
    O segundo tempo eu, eu, eu... dormi =/

    ResponderExcluir
  7. Gente, alow. Vou repetir que não pude ver o primeiro tempo e estou partindo de comentários alheios pra sugerir que o Vasco tenha ido melhor. A verdade é que eles apertaram o suficiente pra nossa zaga (leia-se Welinton, o zagueiro-prego) fazer a cagada que fez e ter o Cesinha ali pra meter a bola pro gol. Ponto.

    ResponderExcluir