sábado, 9 de outubro de 2010

Crônica de um empate anunciado.

Em um momento de revolta, mudarei um pouco o tom do blog. Inauguro aqui a sessão "contos", narrativa, ou simplesmente o básico "colocando pra fora". Em tom de crônica, pode ser?

Decidi viajar no feriado.

Estou com pessoas que amo, em um lugar lindo, comendo muito bem (o que considero essencial em uma viagem), e feliz.

Estou decidida que, no horário da soneca básica das férias, ficarei acordada para ver o jogo do meu time, claro.

Faltam só 5min pro fim, o Vasco ganha por 3X2 do Grêmio. Parecia um daqueles momentos em que olhamos ao nosso redor e afirmamos com um sorriso no rosto: "Sim, minha vida é muito boa!".

Mas... eu sei o que é sina, e sei que o drama do meu amado clube é aquele momento em que o jogo está terminando, que já ninguém se move em campo. Todos os jogadores no limite, as substituições já acabaram, e em um jogo normal, ou pelo menos em um jogo típico, eu poderia ir aproveitar o que me resta da soneca. Mas eu sou vascaína...

....e isso significa que, aos 43 minutos do segundo tempo, meu time, como já virou lugar comum, cede o empate.

Fecho a cara, desisto daquele lindo post que ia fazer pro blog, reflexo da minha alegria.

Vou comer um chocolate pra afogar as mágoas e dormir. E coitado de quem me acordar dizendo que acabou a soneca.

Brincadeira, viu, Vasco? É brincadeira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário