quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Como explicar o amor?

Um amigo esses dias me pediu que explicasse a ele a razão pra eu gostar tanto de esportes. Já comecei com uma correção. Eu não gosto de esportes, eu gosto de futebol.

Futebol, ok?

Escrevi uns 3 e-mails longuíssimos, tentando argumentar de forma racional, capaz de fazer um americano entender essa relação tão forte com a modalidade e com o Flamengo, mas confesso que não sei se convenceria nem a mim mesma.

É que nem quando seus amigos perguntam por que raios você está com aquela pessoa e você idiotamente responde que o coração não escolhe de quem gosta. Mesmo diante de toda a parte exata do futebol, da estratégia, da metodologia, das regras, dos talentos, o que encanta nesse bendito é o inexato.

Poderia ficar aqui escrevendo tanto quanto fiz pra tentar explicar lá pro amigo cientista as diversas variáveis dessa paixão, mas aí achei um bom exemplo pra ilustrar em uma imagem mais do que repetida, mas nunca gasta.

Hoje o Pet era O Cara do É gol!, que passa no Sportv. Janaina Xavier pergunta pra ele por que o gol do Tri-campeonato Carioca ainda é, mesmo depois de tanto tempo, um dos mais pedidos pelo público. O gol é lindo, ninguém pode discutir. Não só pelo aspecto técnico, mas pelo emocional, pelo peso que ele teve, seu poder decisivo. Sem aquele gol, o resultado teria sido outro.

O que eu quero que vocês reparem é a torcida. Aquele mar vermelho e preto com as mãos erguidas, mandando energia positiva pro sérvio, todos os corações da Nação em campo com ele, como se todos calçassem as chuteiras, como se todos compartilhassem a responsabilidade daquele momento.

Pet cobra. A bola descreve uma curva incrível e acerta o ângulo. Segundo ele, ele só entendeu que a bola tinha entrado depois, quando a galera explodiu. E nisso ele correu pra lateral e simplesmente "caiu de madurro".

Eu, revendo o lance, chorei. Chorei como chorei todas as vezes em que a jogada foi mostrada, mais ainda quando deixam esse momento da torcida aparecer.

Esqueça as palavras. Quer entender como alguém pode amar tanto o futebol? Veja esse vídeo. Agora feche os olhos, respire fundo e se imagine ali naquela torcida.

Pode até levantar as mãos se quiser.



=´)

9 comentários:

  1. Lindo texto, Nanda!
    Concordo que a magia do futebol está no completo imprevisível.. Não tem nada de racional... :)

    ResponderExcluir
  2. Só prá lembrar, hoje é 28 de outubro !

    http://www.ricaperrone.com.br/2010/10/o-dia-do-flamenguista/

    Rodolfo Rodrigues

    ResponderExcluir
  3. e você ainda tem a cara de pau de dizer que o LR é tricolor? ele vibra tanto que me deixa com várias pulgas atrás da orelha! hahahahaha

    ResponderExcluir
  4. Eu falo do LC Jr, vc tá confundindo os dois, sequeladinha...

    ResponderExcluir
  5. ah tá, confundi, não é vc quem diz, é o Daniel!

    ResponderExcluir
  6. Explica pro Daniel que ele não é necessariamente tricolor só porque usa muito pancake... hahahahaha!

    ResponderExcluir
  7. HAHAHAHAHAHAHA!

    Funciona tb para ingleses.

    ResponderExcluir
  8. Só sua descrição do gol já me deixou arrepiada. Esse é um momento cravado no coração de qualquer flamenguista. E realmente, paixão não se explica.

    ResponderExcluir