quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Reféns de um bebezão

Em Star Trek - A ira de Khan, meu coração se partiu quando Spock (vulcano lindo do meu coração) se sacrificou pra salvar a tripulação da Enterprise. Segundo ele, a necessidade da muitos é mais importante que a necessidade de um (livre adaptação do texto original, que é bem, bem, bem melhor).

Chorei horrores, vou chorar sempre que vir essa cena. Mas acho que ela define bem a questão do trabalho em grupo e da consciência individual da sua importância como peça de um quebra-cabeça maior.

Não, eu não estou louca, só usei esse exemplo nerd porque há uns 2 dias eu quero falar de Neymar, mas os eventos em torno do jogador foram se acumulando em velocidade assustadora e aí esse momento Trekker me veio à cabeça. Sim, sou nerd. Mas também amo futebol, então aguentem o paradoxo.

A Livia escreveu outro dia mesmo sobre o moicano da Vila Belmiro ser o novo inimigo público número 1 e, quando ela postou, aquilo parecia, de fato, um certo exagero da mídia, uma farofa pra "vender jornal" (começando a perceber que isso vai virar mais uma figura de linguagem do que um fato daqui pra frente).

Só que aí Neymar xingou o técnico, foi barrado por ele, a diretoria escolheu o jogador e demitiu o técnico, deixando o país em choque com a sua falta de perspectiva e planejamento. O dinheiro falou mais alto, eles precisavam proteger o investimento, mesmo que isso lhes custasse o campeonato.

Não, não estou sendo dramática, ou exagerada.

O Santos que encantou os brasileiros, esse dos Meninos da Vila, foi criado pela qualidade técnica de Dorival Junior. É óbvio que os talentos ajudam, mas talentos mal geridos são apenas desperdício. Na mão de um bom gestor, os resultados aparecem e impressionam.

Pior do que demonstrar a completa Neymardependência, a atitude do Santos me faz questionar a capacidade de pensar da diretoria. E olha que eu tinha ficado tão impressionada com o esqueminha que eles montaram pra segurar o moleque no time, agora já penso que teria sido mais bacana deixar ele se estourar no Chelsea mesmo.

Quando você não deixa o técnico tomar as decisões que ele julgar importantes pro funcionamento do time, dá carta branca pros jogadores fazerem o que bem entenderem. Basicamente, dá subsídio pra eles organizarem motins. Outra coisa, é você deixar claro que não considera tanto os outros jogadores que estão à sua disposição, porque dá ataque histérico só de pensar que não vai entrar em campo com AQUELE jogador, como se o time não fosse funcionar sem ele.

Ok, Neymar fez gol, mas e daí? Isso não prova nada, só prova que Neymar faz gols. Outros jogadores do Santos também fazem. Nas condições normais de temperatura e pressão, o gol de Neymar poderia ter sido de outro.

Hoje teve convocação pra mais um teste da Seleção e Mano Menezes não chamou o rapaz. Façam as piadas que quiserem, eu apoio a decisão de Mano. Neymar não merece respeito, porque ele não respeita ninguém. Não tem qualidade de futebol que justifique convocar uma peste insubordinada dessas. A não ser que a gente queira mais um Felipe Melo descontrolado nas mãos.

Quando Dunga não convocou Neymar, o Brasil tinha razão de questionar, mas porque ele levou um grupo ruim, mal escalado e esquisito. Pior, ele fez isso em uma Copa do Mundo. Não eram amistosos, era pra valer. E as escolhas de Dunga eram pura teimosia, Mano está fazendo o que a Supernanny faria. Botando Neymar em seu lugar. O cantinho da sala, viradinho pra parede, sentado num banquinho. Ou ajoelhado no milho, o que seria mais divertido.

Vou confessar que estou contente com a perseguição a Neymar (dentro e fora de campo), porque assim, por mais que o Santos deixe que o moleque mande e desmande no time, Mano pode trabalhar direito, sem a pentelhação de trocentos brasileiros cornetando porque ele não o convocou.

Outra coisa divertida são as piadinhas. Nesse caso, vou endossar o bullying, tá?

Alguém tem que dar um jeito no Neymar, porque deixar ele acreditar que só porque é rico pra cacete ele pode chamar o Chuck Norris de franguinho... Aí não dá.

Pra rir:

Não Salvo

Kibeloco

Ou vá brincar de pescar no Twitter. ;)

5 comentários:

  1. Tem horas que o junior baiano faz falta...

    agora falando sério, o mano está corretíssimo em deixar o neymar de fora... com isso, ele evita que a seleção se torne aquela creche que foi na época do diego e robinho

    ponto para o mano.

    ResponderExcluir
  2. Cara, pra mim o Dorival forçou sua demissão antes do barco começar a afundar. Não fosse por isso, ele não declararia que sob sua batuta o menino não jogava aquele jogo. Saiu no auge e ficou bem na foto enquanto todos criticam o Santos e o Neymar.

    ResponderExcluir
  3. Camilla, acho que a situação já vinha ruim nos bastidores antes, e chegou num momento que ele mesmo viu que a coisa não tinha mais jeito e o melhor era pular fora. Mas pra mim isso não anula a falta de preparo do Neymar e de pulso forte do clube.

    ps: eu to tentando não ficar de tiete do blog nos comentários, aí a Nanda vai e começa um texto falando no A Ira de khan <3 :-P

    ResponderExcluir
  4. Xanda, você é ótima. hahahaah Nerds dominando o mundo!

    Eu não quis deixar o Dorival de vilão e Santos e Neymar de mocinhos! Só disse que ele já tava a fim de sair e deu um jeito de sair por cima. Acho que o Neymar tem que baixar BEM a bola e que a diretoria dançou conforme a música...

    No fundo não discordamos.

    ResponderExcluir
  5. Yeaaaah, Xanda (a íntima, néam?)!!! Vida longa e próspera!! uhuuu!!! hahahahaha!!

    Concordo. Dorival acabou saindo por cima da carne seca, mas o clube foi amador e Neymar é um mané.

    =D

    ResponderExcluir