sábado, 25 de setembro de 2010

O que funciona?

Dorival aceitou o desafio de trabalhar no Galo, time que não respondeu bem aos esforços de Luxemburgo e segue flertando com o rebaixamento. Que pena, de repente Dorival poderia ter sido nosso Joel e dado jeito nesse grupo apático e disfuncional que se atreve a atender pelo nome de Flamengo.

A presidente do clube disse recentemente que Silas veio pra dar o carinho que o time precisava depois do caso Bruno. Ok, ela parece ter entendido que está lidando com crianças, mas pode ter escolhido a metodologia errada pra educá-las.

Desculpa, mas eu não ia mandar um "dá cá um abraço" e lascar uma beijoca molhada na bochecha de criança malcriada. Tipo o Santos faz com o Neymar. Sério, fala pra mim como isso pode dar certo a longo prazo?

Zico também andou falando coisas que eu imagino terem como objetivo único e exclusivo machucar meu coração Rubro-Negro. Não dá pra prometer que o time não vai ser rebaixado. Sim, eu sei, mas dá pra você mentir pra mim? Vender a ideia de que está tudo sob controle? Conhece o efeito placebo? Porque com o Flamengo funciona que, ó, vou te contar. É só ver o lance do padre ter ido lá pra benzer a galera.

Só que todo mundo vai nessa de passar a mão na cabeça e achar tudo bonito, porque coisas ruins acontecem, e o time acompanha. E como acompanha... Zzzzzzz... Ai, quanta apatia...

E vou dizer que isso de que o coração não sente o que os olhos não veem não cola com futebol. Eu não pude ver o jogo e sofri do mesmo jeito. Só que sofri no escuro. Fui construindo minha visão do jogo pela minha timeline do Twitter. É curioso ver como as pessoas usam o humor pra descarregar toda a raiva que a situação provoca. Boa alternativa aos xingamentos, é a mesma coisa que cornetar, mas com uma roupagem mais divertida.

Segundo todas as análises, o Palmeiras foi superior. Considerando que o Porco não tinha conseguido emplacar 2 vitórias consecutivas até agora, isso já diz muito sobre como o Flamengo se apresentou, não?

A postura do clube, dos dirigentes, do técnico e, principalmente, do time, me passa indiferença. Maktub, sabe? Como se não tivessem muito como mudar as coisas, reescrever a história, o destino do Mengão (eu só não quero que seja a Segundona, fora isso, não espero mais muita coisa desse coletivo de bichos preguiça).

Desse jeito, torcer pelo Flamengo está muito como ser aquele cachorrinho miúdo, chato, que fica no portão latindo pra todo transeunte que passa perto da casa que ele acha que tem que guardar. No fim das contas, ninguém te leva a sério, acha graça da sua pretensão e, se achar que você já encheu o saco demais, acaba te dando um bico, só pra te colocar no seu lugar.

Um comentário:

  1. Nanda passei para conhecer seu blog ele é not°10, espetacular com excelente conteúdo você um ótimo trabalho desejo muito sucesso em sua caminhada e objetivo no seu Hiper blog e que DEUS ilumine seus
    caminhos e da sua família
    Um grande abraço e tudo de bom

    ResponderExcluir