quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Libertadores qualquer dia tamoaí

Sei que existem pessoas que não estão nem aí para um dado jogo de futebol se não é o seu time que está jogando. Penso que essas pessoas gostam do time, e não do esporte. É aquela parada de gosto né, mas eu entendo, tem muito joguinho mequetrefe que não vale a pena se dar ao trabalho de ver.

Mas quando se trata de uma final de Libertadores, creio se tratar do jogo mais importante do mundo! Porque pra mim, futebol é coisa nossa, e ponto final! E ontem, vivemos o último jogo da Libertadores 2010.

Eu, como uma boa tricolor, não posso deixar de me lembrar da final de 2008, contra a LDU. Não sinto raiva quando vejo a final e, sim, uma tristeza enorme pela zebra que foi aquela Libertadores, onde tivemos todos os ingredientes necessários para levar aquela taça de maneira histórica, pelo grande ínicio que tivemos com uma goleada de 6 a 0, pela forma como ganhamos do Boca e do São Paulo, pela esperança e crença que tivemos de virar aquele placar quase impossível da final, pelo estrupício do Baldassi, pelo boçal do Cevallos, etc etc etc.

Desde essa partida, qualquer tricolor se tornou obcecado por essa taça. Eu acho que essa obsessão fez com que o clube, em parceria com seu patrocinador (grande Papai Celso Noel) levassem a esses investimentos astronômicos no clube.

Podem dizer que isso está fazendo mal ao futebol carioca e, de certa forma, eu concordo. Mas, sinceramente, eu quero e mereço uma taça Libertadores, cu$te o que cu$tar!

3 comentários:

  1. Marcela, eu vi a final ontem tb. Não todo o jogo, dei aquelas paradas pra tomar banho, fazer comida e tal, mas fiquei com o jogo na TV. Mesmo não suportando o Inter, acabei torcendo pros Colorados levarem, só pela imundície do jogo do Chivas. E também pela cara de pau do juiz, que ignorava todo tipo de desonestidade dos chicanos. E olha que eu acho que o Inter joga pesado, não é um time exatamente delicado. Enfim. Entendo a sua cobiça pela taça, de verdade. Meu time não chegou nem tão perto quanto o seu e eu quase morri com a eliminação desse ano. Mas os investimentos do Flu, pra mim, já entram em outra questão. Até queria que você comentasse, saber sua opinião sobre isso. Contratar jogadores com salários mais altos que o do técnico (não só do próprio time, mas do Palmeiras, que é astronômico!) e ainda renovar com um jogador que é presença mais garantida na balada do que em campo por uma fortuna, você acha que isso aproxima o time da Libertadores ou cria um racha no elenco? Se já tiveram que equiparar o salário do Fred ao do Deco pra ele não ficar com ciúme, imagina os outros jogadores. Será que não rola de quererem pular fora, procurar pastos mais verdes?

    ResponderExcluir
  2. Com certeza cria uma racha no elenco. O problema é que isso só é evidenciado quando o time está mal, ou o clube em crise. Como estamos na liderança, ninguém pensa nessas coisas. E isso é o grande mal do futebol carioca, o imediatismo, a falta de estrutura, o pensamento em longo prazo. Por isso fica fácil ir do céu ao inferno em poucos instantes (qualquer acontecimento vira criiiiise nas Laranjeiras, ou criiiiise na Gávea, e por aí vai). Eu sou a favor do teto salarial! Não concordo meeesmo com as disparidades absuuurdas dos salários.

    ResponderExcluir
  3. Poisé, eu pensei logo no Conca, que é um tremendo jogador, super importante pro elenco, e o Fred sendo bem mais paparicado. Sei lá, eu não acho que o Fred seja mais necessário que o Conca, mas...

    ResponderExcluir