quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Clube X Coração

Outro dia perguntei a uma pessoa querida se ela tinha time, só pra imaginar qual seria a relação entre ela e seu namorado doentemente botafoguense, só pra ouvir um "ah, agora eu tenho, né?". Entendo que futebol seja uma daquelas coisas que escapa a boa parte das mulheres, que não processam muito bem o interesse que se pode ter por um bando de marmanjos vestidos em uniformes sintéticos (obviamente descartáveis, porque aquele tecido agarra uma nhaca que vou te contar) correndo atrás de uma bola. E a violência? Nossa senhora, a violência! Quero nem olhar.

Sério, entendo mesmo. O que eu não entendo é você ter um time e trocar por causa do namorado. Ou marido. Ou peguete. Tanto faz. Não se troca de time por causa de bofe.

Camilla, por exemplo, nossa botafoguense, namora um flamenguista. Acho que não há suborno nesse mundo que a fizesse vestir uma camisa vermelha e preta, não tem amor suficiente nesse mundo que a compre.

Pode parecer uma observação radical, mas passa por aquilo que eu vivo repetindo, de que futebol é uma das coisas mais vicerais que há nesse mundo. Quem torce de verdade, torce com unhas, dentes (isso não é uma apologia a qualquer coisa física, especialmente que se manifeste de forma violenta, ok???), sangue e suor. Dramático? Pode ser. Mas fala que é diferente?

Simpatizantes podem facilmente se associar com o time dos outros, só pra deixar alguém felizinho, mas isso não é torcer. É farofa. Ok, toda farofa é válida, futebol é diversão, blablabla. Mas não posso levar a sério quem escolhe torcer pro time do namorado.

Tipo essa moça aqui, ó. Casada com um cara que joga no Fluminense, vascaína doente, vai torcer pro tricolor levar a melhor no clássico do fim de semana. Ela quer o Vasco no G4 e tá ótemo!

Tá, o Clube das Laranjeiras paga o salário do marido, mas ela precisa mesmo deixar o clube de coração dela de lado só por causa disso? Isso é amor?

Pode isso, meninas?

9 comentários:

  1. Concordo 100% com vc, Nanda! Não existe isso de trocar de time, principalmente por conta de um namorado ou afins! Acho mais honrado dizer que não tem time, pronto! Eu fico ofendida qdo alguém fala que "agora está torcendo pra fulano" mas se a maré virar, ela vai junto... Ninguém é obrigado a ter um time. Não é pq o futebol é o esporte mais popular do Brasil que todos precisam escolher um time. Mas se é pra abrir a boca pra falar que torce, que seja pra valer!!!
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Essa casada com o jogador do Fluminense, no mundo de hoje do futebol, vai trocar de time a cada 6 meses, né? Imagina namorada do Romário?

    É como diz o ditado: uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Seu namorado, marido, peguete, ídolo, sei lá quem, torce pra outro time? Cada um com o seu e todos felizes!

    Mas uma coisa eu penso, por viver na minha família: a briga na hora que tiverem filhos... rs.

    ResponderExcluir
  3. Fato, né? Fica que nem religião, em algum momento isso dá problema, não tem como ser diferente! Meu padrinho, por exemplo, "torceu" pelo Fluminense enquanto minha avó estava viva. Foi só ela morrer que ele saiu do armário como Flamenguista!!!! Nunca imaginei! E se a gente for entrar no mérito, trocar de time por causa de macho é tipo escolher o cara em detrimento das amigas. Vai que termina?? Como faz? O cara não vai gostar menos de você porque você torce por outro time. E se fizer isso, merece muito o pé na bunda. #ficadica

    ResponderExcluir
  4. E que pé na bunda: do adversário! :)

    ResponderExcluir
  5. Ihh nem fala. Namoro um flamenguista doente (pleonasmo? rs) e a briga pelo time dos filhos já começou há tempos! Ele quase me comoveu com a história de quando ele foi ao Maraca pela primeira vez, no cangote do pai, e desde então sonha com o seu momento, sendo ele o pai. Mas eu não caio não! hahahahahaha
    ps: eu sou A renegada. Meu pai, vejam vocês, é botafoguense!

    ResponderExcluir
  6. Olá meninas.
    Concordo totalmente. Você pode até escolher o seu time por ser o time do seu primeiro namorado. Mas se o namoro terminar, não vale terminar com o time também. Nunca entendi. Mais digno dizer que não tem time. Não consigo entender a pessoa se emocionar com um time um ano e depois o trair! Na verdade tenho uma mágoa de uma amiga que deixou de ser Vascaína por causa do namo novo hahaha. :P beijos.

    ResponderExcluir
  7. Quem fala que torce pro time do "par" é porque não tem time nenhum.

    Há os casos em que a paixão de um contamina o outro, aí é outra história...

    Esse assunto dá pano pra manga!

    ResponderExcluir
  8. Puxa, Marcela, que desgosto pro seu papai hehehehe ele não fez escola de pai botafoguense...

    Xanda, pela nossa lógica, essa sua amiga nunca foi vascaína de verdade.

    ResponderExcluir
  9. Exatamente. Eu, por exemplo, já era flamenguista na barriga da mamãe. Meu irmão já foi palmeirense e botafoguense, bem em 1992. Quer dizer, né? A Camilla tb já é botafoguense desde as fraldas. Acho que vc pode ser influenciada a escolher o seu primeiro time, mas virar a casaca prova que vc não tem muita personalidade. hahahahaha...

    ResponderExcluir