quarta-feira, 28 de abril de 2010

A corte nua

Sim, sumi por um bom tempo. Em parte porque não estava mesmo conseguindo me organizar para sentar e escrever, mas também um pouco por uma raiva imensa da falta de seriedade e comprometimento do meu time. Já parabenizei minha caríssima amiga botafoguense, Camilla, pois seu time mereceu levar o Carioca. Mostrou em campo o que o Flamengo não mostrou. Organização e raça. E um técnico de verdade.

Andrade caiu. O problema dos ídolos promovidos a técnicos é esse, o famoso dilema maquiavélico. É melhor ser querido ou temido? E uma coisa exclui a outra? Joel mete medo, impõe respeito, mas acho que não deve haver um time que tenha sido treinado por ele que não o adore. O Flamengo, que desperdiçou a última chance na Libertadores exatamente por uma farra coordenada por Joel, quando se sua saída do Rubro-Negro, o queria de volta.

Mas Andrade insistia em passar a mão na cabeça dos jogadores e achava que um papo de homem no canto resolvia qualquer indisposição. Mas o Flamengo é um grupo composto de crianças mimadas, e nada pode ser pior para uma criança mimada do que fazer todas as suas vontades. Em algum momento, é necessário deixar que esperneiem, deem seus chiliques, mas elas precisam saber quem manda.

É simples. Alguém precisa ter coragem de dizer ao Imperador que ele está nu. E não só a Adriano, mas a Bruno, Juan, quem quer que seja. Eles não são supremos, não podem fazer o que der na telha, precisam respeitar a Nação e ao clube que os emprega. É isso mesmo. EMPREGO. TRABALHO. Já ouviram falar?? Parece que não.

Acho bonitinho isso de contar história triste, dizer que vieram de comunidade pobre, jogavam com meia na quadra do lado de casa, que jogar futebol é um sonho realizado. Então, cara, leva mais a sério ainda! Quantos por aí não vão ter essa oportunidade, de ter um emprego de sonho, de ganhar uma fortuna pra jogar bola e ser aclamado por uma torcida do tamanho dessa que veste a camisa vermelha e preta? Entra em campo e mostra serviço, joga com honra e vontade, em troca, você vai ser aplaudido de pé e vai ter uma Nação inteira te declarando amor eterno.

Já disse milhões de vezes, até aqui, que futebol é paixão, e, como toda paixão, gera uma intensidade absurda. Quando meu time perdeu o título estadual, eu tremia. Tenta fazer a unha tremendo. Não dá! Eu amo o Flamengo, mas não dá pra rolar esse lance platônico, tem que ter uma volta!

Hoje temos Libertadores. Não aguento mais essa sequência de discussões inúteis, sobre Copa União de 87, Flamengo não ser Hexa, CBF de cá, Fifa de lá, Sport no meio, São Paulo também, quem tem a maior torcida, empate técnico de IBOPE, Adriano contra Ronaldo, um mimimi do cacete, que não acaba nunca.

Então deixa eu aproveitar que não escrevia há um tempo pra botar uns pingos nesses is. Taça de bolinha tá com o São Paulo, que as bolinhas sejam distribuidas igualmente e sejam armazenadas onde o sol não brilha. Beijo pra vocês.

Flamengo não é Hexa? É sim. Me processa, Sport, que se dane. Acho falta de dignidade que isso ainda se estenda. Não acho que seja só porque estamos falando de Flamengo, acho que essa sacanagem aconteceria com qualquer um, mas queria ver todo mundo que assinou o documento lá em 87, não reconhecendo a fanfarronice dos patrões que só quiseram brincar depois que o brinquedo ficou bacana e ainda entraram numa de mudar as regras. Grupo verde, grupo amarelo, DANEM-SE todos vocês. Tomem vergonha nessa bosta dessa cara e assumam que vocês são uns canalhas e deem o reconhecimento a quem é devido. SPORT? Ah, para!

Adriano, eu botaria você no banco. E não te convocaria pra Copa. Você não vale nada e eu não gosto de você quando você acha que a Gávea é a casa da mãe Joana (sem trocadilhos pretendidos) e deixa a sua vida pessoal, seus problemas de cabeça, interferirem com o seu desempenho. Vai fazer terapia e para de graça. E para de agir como se tivesse achado seu Adrianinho no lixo, deixando qualquer vadia louca desequilibrar seus nervos na hora de bater penalti. Se você vai tremer nas bases sempre que alguém te chamar de corno no Maracanã, então não pega a bola pra bater. Ou melhora o nível da mulherada, porque vou te contar!

Bruno, vai mandar beijinho debochado pra senhora sua mãe, que obviamente não te criou direito. Se dependesse de mim, te despachada pro Benfica AGORA, sem direito a devoluções. Seu goleirinho meia boca, desrespeitoso!

Andrade, eu ainda te amo. Aproveita esse tempinho agora pra aprender a fazer o que a dona Patricia Amorim fez. Botar o pau na mesa.

Time, vambora! Hoje é sério, não é rachão, não é amistoso, é Libertadores.

Ok, esse post é pra mim e mais uma meia dúzia que me lê, mas não ligo. Reclamo mesmo, xingo mesmo, dou as costas, amaldiçoo, o que for. Futebol é paixão e o Flamengo é a minha.

Só não aguento mais que isso seja tão platônico.

Um comentário:

  1. Olá, meninas! Muito legal o blog de vocês, adorei. Quando puderem, passem no meu blog (onde eu também escrevo, às vezes, sobre futebol): http://betasetimi.blogspot.com/
    Beijos

    ResponderExcluir