quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Marketing Rubro-Negro

Quando lançaram a linha do Imperador do Rio, o Rei do Rio, o Hexa na Raça, achei tudo bem legal, boas estratégias de marketing para comunicar o time. Mas esse lance de Império do amor não passa de uma tosqueira. Pior, uma tosqueira cafona.

E, vou confessar, me incomoda pra cacete ver tanto confete sendo jogado nesse nosso ataque quando o desempenho que temos mostrado em campo tem sido, no máximo, mediano. Pra não dizer medíocre.

Não adianta nada ter bons atacantes que não jogam todos os jogos e ter uma defesa fraca. Quando não tem Vagner Love e Adriano para finalizar, o Flamengo faz o que? Apara a grama? Ou fica ensebando até o adversário fazer gol? Ou só garante à torcida um jogo lento e muito do chato?

Acho que o senhor Marcos Braz deveria estar perdendo menos tempo em bolar formas de se vingar do Pet e focar em construir um time mais forte em todas as áreas. Senão... Vamos ter que suar a camisa para mostrar serviço nesse ano de Libertadores.

Chega de farofa. Não dá pra ficar de fanfarronice todo começo de ano pra ter de compensar alucinadamente depois. Vergonha na cara já!

P.S.: Momento inesperado da semana: eu ia postar sobre isso semana passada, mas a conexão do celular estava derrubando o Blogspot direto, então optei por tuitar minha impressão sobre a expressão Império do Amor. E olha no que deu!



Divertido isso... =) (só vou discordar da grande fase, vá...)

2 comentários:

  1. Não está sendo muito dura?? o nome é cafona mas o ataque é matador. Meio que compensa a defesa estar uma M...

    ResponderExcluir
  2. A defesa é realmente uma porcaria. O meu problema com o ataque não é a qualidade, mas a inconstância. Quando eles jogam, é ótimo, mas quando não jogam, deixam o time órfão. E isso dói!!

    ResponderExcluir