domingo, 11 de outubro de 2009

Mengão matador

Nas últimas duas partidas sem Adriano o Flamengo teve a oportunidade de mostrar que o trabalho que vem desenvolvendo é algo realmente sólido. Ponto para o time, ponto para Andrade, que conseguiu botar ordem numa casa que estava uma zona desde a saída de Joel Santana no meio de uma Libertadores.

A garra que a equipe tem apresentado é de dar gosto. Pet rege o grupo com maestria absurda e até Zé Roberto saiu daquela apatia vergonhosa que dava até raiva de ver em campo. Sempre que Cuca o relacionava ou punha em campo, ficava difícil saber quem matar primeiro, o técnico burro ou o jogador incompetente. Mas agora Zé tem se provado um diferencial para o grupo, deixando sua marca em praticamente todas as partidas.

Dênis Marques continua desagradando. Em vez de aprender e evoluir, parece que vai esquecendo como se joga. Faz gol de vez em quando? Até faz. Mas e daí? Num time raçudo como o Mengão, não dá pra ser o cara que só faz merda e de vez em quando acerta. Isso desequilibra.

E ontem, contra o São Paulo, vimos um Flamengo que não desistiu e nem afrouxou diante do placar desfavorável do primeiro tempo. Pelo contrário, correram atrás e viraram a mesa, mesmo diante de avacalhações vergonhosas como a cera do goleiro palhaço do adversário. Depois de ter se adiantado na primeira cobrança e ter sido pego pelo bandeirinha, Rogério Ceni fez questão de ir reclamar alguma coisa com o juiz e todas as gracinhas possíveis para deixar Pet o mais nervoso possível. Mas o são paulino levou um cartão amarelo e o sérvio converteu a penalidade, empatando o jogo para o Rubro Negro. Merecido para ambos os lados.

A virada veio com um passe perfeito de Pet e um golaço bem feito de Zé Roberto, dupla dinâmica que só tem trazido alegrias pra Magnética.

O Flamengo deu o sangue em campo e, pra mim, isso é o mais importante. O resultado foi consequência disso. Foi mais do que justo.

Só fico imaginando se o Imperador estivesse em campo. Será que ele teria poupado seu ex-clube? Ou teria massacrado os inimigos?

Nenhum comentário:

Postar um comentário